Governo admite acabar com limites de lotação nos transportes públicos

Pedro Nuno Santos referiu ser “impossível” controlar o número de viajantes e apontou que Portugal é “dos poucos países da Europa” onde há restrições à lotação dos transportes públicos

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, revelou que o Governo assume acabar com as limitações à lotação nos transportes públicos, em entrevista à TSF e ao Dinheiro Vivo

“É difícil controlar a lotação num comboio, por exemplo, de Sintra, que leva duas mil pessoas, que tem vinte e tal portas, quatro plataformas na estação. Não conseguimos controlar, é impossível”, apontou Pedro Nuno Santos.

“Temos de equacionar isso, porque, de outra forma, vamos ter problemas sérios de mobilidade na Área Metropolitana de Lisboa”, garantiu o ministro das Infraestruturas e da Habitação.

Para justificar a sua posição, Pedro Nuno Santos referiu a existência de “estudos internacionais [que] vão nos mostrando que não é esse o problema” e indicou como exemplo os funcionários da CP que “trabalham diariamente dentro de comboios”, destacando que, num universo de cerca de dois mil trabalhadores, até ao momento, foram contabilizados apenas “três infetados”.

Durante a entrevista, Pedro Nuno Santos sublinhou ainda que Portugal é “dos poucos países da Europa” onde há restrições à lotação dos transportes públicos e comparou a abordagem portuguesa com a de outras capitais europeias “onde há uma intensidade de utilização de transporte urbano muito maior”.

“Aquilo que nós temos de fazer é garantir que as pessoas todas [as pessoas] usem máscara e garantir a higienização diária, sempre que possível, mais do que uma vez, dos comboios”, assegurou o ministro das Infraestruturas e da Habitação.

Duarte Cordeiro, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, também comentou a situação dos transportes públicos, durante audição, a 16 de julho.

“Nós temos de nos habituar à ideia de conviver com um determinado nível de risco e de nos proteger para esse risco. Eu acho que nós, realmente, temos de nos preparar nesse sentido e a questão dos transportes é evidente”, referiu Duarte Cordeiro

Relacionadas

PS e CDS-PP em falência técnica. PSD e PCP são os partidos com contas mais sólidas

O PSD ultrapassou o PCP e é agora o partido com melhor saúde financeira, seguido de perto pelo Bloco de Esquerda. Dívida do PS é superior à soma dos passivos dos restantes partidos com assento parlamentar.

Lay-off até 2021 e corte de impostos. PSD propõe programa de resposta económica e social para o Algarve

A bancada social-democrata considera “imperioso” dar resposta às dificuldades que o Algarve atravessa e sugere, entre outras medidas, que seja manter o regime de lay-off simplificado até março de 2021 e que seja criado um regime fiscal mais favorável para empresas sediadas no Algarve.
Recomendadas

PS insiste que negociações do Orçamento do Estado para 2022 devem continuar na especialidade

José Luís Carneiro reforçou a intenção do PS em “apreciar as propostas” dos parceiros, mas com o propósito de “encontrar os pontos de equilíbrio e de bom senso”, na última das audiências que o Presidente da República manteve com os partidos nesta sexta-feira.

Catarina Martins sinaliza que “só não há um OE se o Governo não quiser”

A líder bloquista exemplificou algumas das áreas nas quais quer ver avanços no documento de OE, como o SNS ou as “longas carreiras contributivas”, esclarecendo ainda que “não se prende por questões formais”, pretendendo apenas “redações exatas das leis”.
Nuno Melo e Francisco

Nuno Melo abre e Rodrigues dos Santos encerra escola de quadros da Juventude Popular

Atual líder centrista e o eurodeputado que pretende ser o próximo presidente do partido não se irão cruzar no hotel de Portimão onde decorre uma ação de formação que conta com convidados como o social-democrata Miguel Pinto Luz e o socialista Álvaro Beleza, presidente da SEDES.
Comentários