Governo angolano acredita na recuperação do poder de compra

O ministro da Administração Pública Trabalho e Segurança Social de Angola considerou, no Cuanza Norte, que a revisão e o reajustamento da tabela indiciária de salários da função pública permitiram recuperar o poder de compra dos funcionários.

O ministro da Administração Pública Trabalho e Segurança Social (MAPTSS), Jesus Maiato, considerou, no Cuanza Norte, que a revisão e o reajustamento da tabela indiciária de salários da função pública permitiram recuperar o poder de compra dos funcionários.

Em declarações à imprensa, após visitas às instalações dos órgãos tutelados pelo sector na província, Jesus Maiato referiu que o Ministério e demais órgãos do Executivo conseguiram ultrapassar, sobretudo no sector da educação, onde havia disparidade relativamente aos funcionários de outros sectores com o mesmo nível académico e categoria laboral.

Sem avançar o número de funcionários abrangidos nesse processo, Jesus Maiaangolato referiu que o Executivo procedeu, igualmente, a revisão das carreiras do regime especial dos sectores da Educação, Saúde, Ensino Superior e Formação Profissional, adequando os salários dos profissionais desses sectores.

Para o ministro, uma atenção será dada, a partir deste ano, no domínio da formação profissional e académica dos funcionários públicos, acções que serão feitas com base na avaliação de desempenho e promoção da carreira e categoria.

Além desta ação, Jesus Maiato precisou que no domínio da Administração Pública, ao longo do ano de 2018, o ministério concluiu o estudo da macroestrutura do sector, com propostas concretas das principais áreas de actuação do programa de reforma.

Recomendadas

Comediante ganha as eleições na Ucrânia

Presidenciais na Ucrânia. Primeiros resultados dão vitória a Volodymyr Zelensky. As sondagens dão vitória ao comediante com 73,1%. Petro Poroshenko obteve 25,3%, avança o Euronews.

Rachida dati: Ex-ministra quer tornar Paris de direita outra vez

Eurodeputada prepara autárquicas de 2020 com o objetivo de pôr fim a um jejum de quase 20 anos no centro-direita. Para isso terá que derrotar a socialista Anne Hidalgo, outra filha de imigrantes.

Árabes anunciam apoio financeiro de 2,7 mil milhões de euros para o Sudão

O apoio financeiro assume a forma de depósito de 500 milhões de dólares (445 milhões de euros) ao banco central sudanês e 2,5 mil milhões de dólares (2,2 mil milhões de euros) destinados a financiar as necessidades do povo sudanês em produtos alimentares, medicamentos e produtos petrolíferos, indicou a agência sudanesa oficial SPA, citada pela France Press, sem especificar se se trata de doações ou empréstimos.
Comentários