Governo anuncia que Programa Interface garante mais 33 milhões de euros de incentivo

“Vão ser assinados os contratos de financiamento, no valor de 33 milhões de euros, a entidades reconhecidas pelo Ministério da Economia, no âmbito do Programa Interface”, anunciou hoje o Governo, através de comunicado.

“Vão ser assinados os contratos de financiamento, no valor de 33 milhões de euros, a entidades reconhecidas pelo Ministério da Economia, no âmbito do Programa Interface”, anunciou hoje o Governo, através de comunicado.

O Programa Interface tem como objetivo capacitar os Centros de Interface na sua missão de transferência de tecnologia e de valorização do conhecimento, promovendo dinâmicas colaborativas entre ciência, tecnologia e empresas, bem como a internacionalização da inovação e dos resultados das atividades de I&D.

“Este financiamento procura contribuir para uma maior segurança e estabilidade aos Centros de Interface, bem como uma maior competitividade a médio e longo prazo. O financiamento de base plurianual é assegurado pelo Fundo de Inovação, Transferência de Tecnologia e Economia Circular (FITEC), tendo por base os planos de atividade a três anos a implementar por cada Centro de Interface”, salienta o comunicado.

“No total serão disponibilizados cerca de 33 milhões de euros pelo FITEC, como parte de uma estratégia avaliada em mais de 400 milhões de euros que permitirá a criação de cerca de 380 postos de trabalho altamente qualificados, num total de 26 entidades, até 2021”, acrescenta.

A Agência Nacional de Inovação (ANI) irá acompanhar a execução dos planos de atividade dos Centros de Interface ao longo dos próximos três anos, assim como proceder à avaliação do seu impacto no final desse período.

Recomendadas

Subida do salário mínimo? “É prematuro assumir qualquer valor como definitivo”, diz Governo

A resposta surge depois de ser noticiado um eventual aumento de 40 euros. “A definição anual da atualização do SMN segue os procedimentos habituais, sendo objeto de discussão em sede de concertação social e com as estruturas sindicais”, explicam os ministérios das Finanças, Trabalho e Administração Pública.

PremiumJoão César das Neves: “Temos de pôr dinheiro no bolso das pessoas”

O economista César das Neves diz que o Plano de Recuperação é o “do costume”, dedicado a construção e burocracia, que se irá traduzir num “crescimento medíocre”. Defende a extensão das moratórias e alerta para o desafio da solvabilidade das empresas.

OMS denuncia desigualdades nas vacinas. Países ricos receberam 81% das doses (com áudio)

Enquanto que os países mais ricos já receberam mais de 80% das vacinas, os países com menores rendimentos só acumularam 0,3% das doses.
Comentários