Governo apresenta condolências e manifesta solidariedade para com vítimas da barragem em Brumadinho

O Governo português lamentou hoje “profundamente” as centenas de mortos e feridos, bem como a destruição causado pelo acidente com barragem em Brumadinho no Brasil.

O Governo português apresentou hoje as suas condolências às vítimas do rompimento de uma barragem em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte. ”O Governo Português está a acompanhar com grande consternação e profundo pesar as notícias sobre o trágico acontecimento ocorrido em Brumadinho, no Estado de Minas Gerais, com muitas vítimas mortais e ainda um grande número de desaparecidos”, lê-se num comunicado divulgado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Na nota, o Governo português apresenta as suas condolências às famílias das vítimas e manifesta ”a sua solidariedade para com as Autoridades brasileiras e o Povo irmão do Brasil”.

Segundo a comunicação social brasileira, a Defesa Civil de Minas Gerais elevou, esta terça feira, para 65 o número de mortos, salientando também que 279 pessoas continuam desaparecidas.

Neste quarto dia de buscas – que teve reforço de militares enviados pelo governo de Israel –, nenhuma vítima foi encontrada com vida, segundo o corpo de bombeiros.

Relacionadas

Justiça brasileira bloqueia 232 milhões de euros da Vale após tragédia em barragem

Decisão determina ainda que a Vale apresente num prazo de até 48 horas um relatório de socorro às vítimas, mapeie áreas de risco, comece a retirada da lama, adote medidas para não contaminar nascentes e elabore um plano de controlo de epidemias.

Brasil: barragem rebenta em Belo Horizonte e arrasta várias casas

O jornal brasileiro “Estadão” avança que houve casas arrastadas e que os bombeiros já se encontram no local do incidente, onde já se aponta a existência de dois feridos.

Inspeção não encontrou falhas estruturais em mina que rebentou no Brasil

A empresa responsável pela inspecção, realizada em setembro, mostrou-se disponível para colaborar e disponibilizar os documentos necessários às entidades responsáveis por investigar o rebentar da mina.
Recomendadas

Motoristas e patrões não chegam a acordo. Governo diz que tentou resolver conflito pelo diálogo

“Obviamente que não esperávamos este desfecho”, admitiu o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos. O governante disse esta terça-feira que uma das partes quis definir resultados antes da negociação.

Reunião do Governo com sindicato dos motoristas decorre há cerca de quatro horas

O Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias desvinculou-se da greve ao quarto dia, na quinta-feira à noite, e vai regressar às negociações com o patronato em 12 de setembro.

Ministra da Saúde defende que é necessário reorganizar maternidades

“Nesta época, procurámos garantir que as faltas [de profissionais] são supridas com recurso a prestação de serviço”, disse Marta Temido.
Comentários