Governo aprovou mais 37 projetos de reabilitação de regadios

Os 37 projetos agora aprovados pelo Ministério da Agricultura situam-se todos no distrito de Vila Real e vão beneficiar 1.630 hectares, num investimento superior a 4,7 milhões de euros.

Foram aprovados pelo Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural mais 37 projetos de reabilitação de regadios tradicionais.

Estes projetos situam-se todos no distrito de Vila Real, que vão beneficiar mais de 1.630 hectares, com um investimento público superior a 4,7 milhões de euros.

Trata-se de regadios integrados nos concelhos de Boticas, Chaves, Montalegre, Murça, Ribeira de Pena, Valpaços, Vila Pouca de Aguiar e Vila Real, que vão beneficiar 1.700 agricultores.

“Estes projetos de recuperação complementam o Programa Nacional de Regadios, que prevê um investimento global de 560 milhões de euros na criação e na reabilitação de mais cerca de 100 mil hectares de regadio até 2023, que vão gerar 10.500 postos de trabalho permanentes”, destaca um comunicado do Ministério da Agricultura.

Capoulas Santos congratula-se com a aprovação destes projetos, considerando-os “uma aposta do Governo num pilar fundamental para o desenvolvimento da região”, lembrando que se trata de “um instrumento essencial para a fixação das populações e para o apoio à agricultura familiar”.

Segundo o referido comunicado do Ministério da Agricultura, “estes regadios fazem parte de um projeto mais amplo de valorização dos territórios e da atividade agrícola”, sublinhando o ministro da Agricultura  que esta iniciativa vai tornar esta atividade “mais produtiva e mais competitiva, nomeadamente através do uso mais eficiente da água”, uma vez que, no seu entender, “a sustentabilidade da atividade agrícola é também uma prioridade”.

Capoulas Santos acrescenta ainda a necessidade de adaptação da agricultura portuguesa às alterações climáticas e de contribuir para os objetivos do Governo relativamente à estratégia de descarbonização, neste momento em discussão pública, considerando “urgente promover o uso eficiente do recurso água e a constituição de reservas para enfrentar tempos de escassez decorrentes das alterações climáticas”.

Ler mais
Recomendadas

Sardinha: Uma velha conhecida ainda chega a tempo dos Santos Populares

Desde meados de setembro de 2018 que os pescadores de Portugal e Espanha estão sem poder pescar sardinha, mas a interdição está quase a terminar. Os portugueses regressaram ao mar a partir de 3 de junho para apanharem um peixe emblemático, mas que tem perdido primazia no setor.

Delta Q entra na Polónia através de cadeia de supermercados da Jerónimo Martins

A marca de café em cápsulas do grupo Delta refere que vai, assim, passar a estar presente em 1.100 localidades na Polónia, através das 2.900 lojas da polaca Biedronka.

Nova marca ‘Cereais do Alentejo’ prevê faturar 2,5 milhões até 2021

Esta iniciativa da ANPOC prevê envolver cerca de dez mil toneladas de cereal, abrangendo uma área cultivada de mais de 3.300 hectares.
Comentários