Governo avisa empresas que têm de manter postos de trabalho para receberem apoios

Na sua comunicação ao país, o primeiro-ministro deu praticamente como perdidos os próximos meses para a atividade económica em Portugal, colocando o ênfase no relançamento da economia nacional a partir de junho.

Omer Messinger/EPA

O Governo avisou hoje as empresas que têm de manter os postos de trabalho durante esta crise provocada pela epidemia do coronavírus para poderem ter direito aos apoios concedidos pelo Estado.

“Aprovámos um conjunto de linhas de crédito para as empresas” que têm como condição a “manutenção de empregos”, afirmou hoje o primeiro-ministro. “É preciso criar as condições para as empresas manterem postos de trabalho”.

Durante o seu discurso na noite desta sexta-feira, António Costa sublinhou por diversas vezes a importância da manutenção dos postos de trabalho e do rendimento das famílias para ajudar o país a superar a quebra económica que se avizinha devido à paragem do país causada pela quarentena devido ao coronavírus.

“A medida mais eficaz é apoiar os rendimentos e garantir emprego, emprego, emprego. Garantindo emprego, estamos a garantir o rendimento das famílias”, disse António Costa.

O Executivo já tinha anunciado esta semana linhas de crédito destinadas às empresas no valor de três mil milhões de euros, assim como 6.200 milhões em isenções fiscais e contribuições sociais.

Na sua comunicação ao país, o primeiro-ministro deu praticamente os próximos três meses como perdidos para a atividade económica em Portugal, colocando o ênfase no relançamento da economia nacional a partir de junho.

“É fundamental chegar a junho em condições de poder encarar com confiança e preparar o relançamento da economia”, sublinhou o primeiro-ministro.

O Governo esteve reunido desde as 10h30 da manhã desta sexta-feira para aprovar as medidas de apoio social e económico para enfrentar a crise do coronavírus em Portugal.

Esta manhã, o primeiro-ministro manteve uma videoconferência com a chanceler alemã, Angela Merkel, com o objetivo de “coordenar a resposta europeia” à pandemia do novo coronavírus.

Já ao final da tarde, António Costa saiu do Conselho de Ministros para se deslocar ao Palácio de Belém para uma reunião com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Até ao momento, Portugal conta com um total de 1.020 casos positivos, mais 235 face ao dia de ontem, e seis vítimas mortais, segundo os dados da Direção-Geral de Saúde (DGS) divulgados esta sexta-feira, 20 de março.

No total, foram registados 7.732 casos suspeitos e 850 pessoas ainda aguardam os resultados das análises laboratoriais de Covid-19.

 

“Tudo que for necessário”. Veja aqui as medidas anunciadas hoje pelo Governo para as empresas e trabalhadores independentes

Ler mais

Relacionadas

Empresas vão poder adiar até junho pagamento de dois terços das contribuições sociais e impostos

Todas as empresas vão poder aceder às linhas de crédito de três mil milhões de euros anteriormente anunciadas, com a contrapartida de não poderem despedir funcionários. Empresas vão ter também até junho para pagar o IVA, IRC e IRS dos próximos três meses. Objetivo é assegurar a liquidez das empresas para enfrentarem crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Subsídio de desemprego e complemento solidário para idosos vão ser renovados automaticamente durante crise da Covid-19

A medida consta no segundo pacote de medidas aprovadas em Conselho de Ministros para mitigar os impactos negativos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e garantir o rendimento das famílias durante a crise.

Senhorios impedidos de cancelar contratos de arrendamento durante três meses

O anúncio foi feito após o Conselho de Ministros onde o Governo aprovou mais medidas de apoio social e económico para mitigar os impactos negativos para as famílias e empresas. Com esta medida, o Governo pretende travar a “ansiedade pela procura de casa”.

Primeiro-ministro admite que Estado de Emergência pode vir a ser renovado

“Sejamos francos, não será daqui a 15 dias que desaparecem as razões” pelas quais foi declarado este estado, a epidemia do coronavírus, disse António Costa.

Inspeções automóveis vão ser adiadas durante dois meses

Os veículos a motor e seus reboques, ligeiros ou pesados, que teriam que se apresentar num centro de inspeções entre 13 de março e 31 de maio de 2020, vão ter direito a um adiamento de dois meses do prazo da inspeção a contar da data da matrícula.
Recomendadas

Operadores oferecem mais de 200 milhões de euros no sétimo dia da fase principal do leilão do 5G

Face de licitação principal do leilão do 5G chega aos 200,4 milhões de euros. Propostas superam em 4,2 milhões de euros as ofertas das rondas de quinta-feira.

PremiumDeolinda Silva: “Indústria alimentar pode ser exportadora líquida num futuro próximo”

As exportações do sector agroalimentar português cresceram cerca de 20% entre 2015 e 2019. Nesse ano, as empresas associadas da PortugalFoods exportaram 830 milhões de euros, um crescimento de 40% no período em causa.

Bruxelas propõe alterar OE2021 para ajudar Estados-Membros na adaptação ao Brexit

Este ajuste garantirá a disponibilidade de recursos suficientes este ano para ajudar os 27 países do bloco europeu a fazer face aos efeitos imediatos do Brexit.
Comentários