Governo bloqueia licenças para novos projetos solares em Portugal

No total seriam quase 800 milhões de euros de investimento potencial nas novas centrais, que se concentram sobretudo no Algarve e Alentejo. Contudo, após a saída de Seguro Sanchez do Governo, o discurso mudou e as licenças para a construção de centrais fotovolotaicas, num total de 1, 5 mil megawatts, são agora um número excessivo.

Até 2021, deveriam nascer em Portugal 31 novas centrais solares fotovoltaicas, num total de mil megawatts de licenças que o Governo aprovou em regime de mercado, ou seja, sem dinheiro a tarifas subsidiadas. Esta promessa não concretizada feita pelo antigo secretário de Estado da Energia, Seguro Sanchez, foi relembrada na edição desta quarta feira do ”Jornal de Notícias” (JN).

No total seriam quase 800 milhões de euros de investimento potencial nas novas centrais, que se concentram sobretudo no Algarve e Alentejo. Contudo, após a saída de Seguro Sanchez do Governo e a entrada de João Galamba para a mesma posição, num espaço de seis meses o discurso do Governo mudou e as licenças para a construção de centrais fotovolotaicas, num total de 1,5 mil megawatts, são agora um número excessivo.

O sistema de licenciamento foi pensado para obter uma “licença depressa mas pouco pensado para começar a produzir depressa”, como disse o próprio ministro. Os trabalhos demoram a arrancar no terreno, os investimentos também tardam, e já foi mesmo ordenado um levantamento exaustivo e inspeção às licenças passadas. Contactada pelo ”Dinheiro Vivo”, a secretaria de Estado da Energia não respondeu às questões enviadas.

O objetivo passa por detetar eventuais situações de “especulação com licenças” nos projetos de energia solar. Ao ”Público”, o novo secretário de Estado admitiu mesmo “suspeitas sobre a seriedade das intenções em torno de algumas das novas licenças atribuídas”.

Recomendadas

Queijaria de Jorge Coelho conquista prémio mundial

Para Jorge Coelho, administrador e promotor do projeto, “esta distinção representa a concretização de uma ambição da Queijaria Vale da Estrela que é o de elevar ao patamar da Excelência a qualidade de um produto como é o Queijo da Serra da Estrela DOP, ambição essa que faz parte da sua cultura”.

Infrações detetadas em greves da Ryanair em 2018 deram origem a três participações crime

A Autoridade para as Condições do Trabalho quer garantir “de forma inequívoca” o cumprimento da legislação nacional pela Ryanair.
André-Matias-de-Almeida-Antram.jpg

Antram espera entendimento com sindicato dos motoristas sobre serviços mínimos

A associação patronal espera atingir um entendimento com o sindicato de motoristas quanto à definição de serviços mínimos no âmbito do pré-aviso de greve lançado pela estrutura sindical.
Comentários