Governo clarifica diploma de avaliação dos funcionários públicos

Na ausência de avaliação irá ser atribuído um ponto aos trabalhadores em que a alteração do posicionamento remuneratório seja reflexo de “opção gestionária”.

O governo esclareceu os moldes da avaliação da função pública, norma publicada em Diário da República, esta sexta-feira.

Os funcionários públicos que não forem avaliados pelos serviços passam a contar com a última avaliação, caso a mesma não exista, terá lugar a ponderação curricular.

Na ausência de avaliação irá ser atribuído um ponto aos trabalhadores em que a alteração do posicionamento remuneratório seja reflexo de “opção gestionária”, isto é, quando é autorizada uma alteração deste posicionamento remuneratório para a posição seguinte, mesmo que não detenha todos os requisitos previstos para que isso aconteça.

 

As progressões dos funcionários públicos foram congeladas em 2010, ainda que os funcionários públicos tenham continuado a acumular os pontos exigidos para terem direito à progressão, ao longo dos anos, e as restrições deverão ser levantadas em 2018. O Governo está a negociar a medida com os partidos que suportam a maioria parlamentar e os parceiros sociais.

Recomendadas

Portugal promove “soluções para impacto assimétrico da crise”, garante ministro das Finanças

“Chegámos a um acordo sem precedentes que permite a emissão de dívida europeia em larga escala para financiar a recuperação economia europeia através dos programas de recuperação europeus”, referiu João Leão depois da reunião do G20.

Autárquicas: CDS-PP diz que Carlos Moedas é “um nome forte” para lidar “coligação de centro-direita” em Lisboa

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, acredita que o ex-comissário europeu é “capaz de libertar os lisboetas do socialismo e oferecer à cidade uma mudança para o futuro”, impedindo uma nova vitória do PS nas eleições deste ano.

Primeiro-ministro: “É natural que o desconfinamento comece pelas escolas”

António Costa recordou esta sexta-feira Governo “resistiu” até à última hipótese ao encerramento das escolas por causa do entrave que implica no desenvolvimento e no processo de aprendizagem dos alunos.
Comentários