Governo da Catalunha adia eleições para o Parlamento

As eleições estavam marcadas para 14 de fevereiro e passaram para 30 de maio. Perante a evidência da probabilidade da vitória da abstenção, o executivo decidiu não “colocar em causa a legitimidade do processo”.

Juan Medina/Reuters

O governo da Catalunha decidiu esta sexta-feira adiar as eleições para o Parlamento catalão, que estavam marcadas para o próximo dia 14 de fevereiro – sendo o ato transferido para 30 de maio seguinte.

O executivo explicou esta tarde a decisão, depois de ter chegado a um consenso amplo com os distintos partidos nas várias reuniões entre o executivo e os mesmos, adiantou ao JE fonte oficial do governo da Catalunha.

O executivo catalão – liderado interinamente por Pere Aragonès (da Esquerda Republicana da Catalunha) tem trabalhado nos últimos meses para estabelecer protocolos e ações para organizar as eleições tendo como um dos objetivos “garantir o direito a voto de todos os cidadãos, minimizar o risco sobre a saúde e assegurar a legitimidade do processo”.

Por exemplo, o executivo decidiu a criação de faixas horárias recomendadas de votação: 9-12h para os setores de risco, 12-18h para o resto de cidadãos e 18-20h para pessoas positivas e contactos das mesmas.

Apesar das medidas, o executivo tomou a decisão de adiar as eleições “tendo em conta critérios unicamente epidemiológicos, em previsão de um pico de contágios a poucos dias do início da campanha eleitoral e um pico de pressão hospitalária nos dias anteriores à votação”, disse a mesma fonte.

O governo catalão tem como principais objetivos “minimizar o risco sobre a saúde e garantir o direito a voto de todos os cidadãos assim como assegurar a legitimidade do processo eleitoral”. Perante um hipotético mas previsível aumento da abstenção pelo receio dos cidadãos em relação ao contexto sanitário, “põe-se em causa a legitimidade do processo”.

Neste sentido, o vice-presidente do governo da Catalunha, Pere Aragonès, sublinha que “adiamos as eleições para o próximo dia 30 de maio para minimizar o risco epidemiológico e garantir que o processo eleitoral possa celebrar-se com uma alta exigência de qualidade democrática”.

Ler mais
Recomendadas

PremiumExploração espacial: Todos os caminhos vão dar a Marte

O planeta vermelho está por estes dias cheio de trânsito: três missões – dos Estados Unidos, da China e dos Emirados Árabes Unidos – evoluem em paralelo, na tentativa de darem a perceber melhor as suas caraterísticas, até porque a NASA pretende trazer amostras recolhidas pela Perseverance de volta para a Terra. Entre o sonho humano de chegar sempre mais longe e a vontade política de comandar esse sonho, Marte é a próxima fronteira.

PremiumPablo Hasél: Rap para aquecer as noites frias do inverno catalão

Um rapper está preso desde o dia seguinte às eleições na Catalunha. Não será motivo suficiente para explicar o incêndio que volta a devastar Barcelona: o impasse político com Madrid mantém-se e parece mesmo ter possibilidade de aumentar. Entretanto, ainda ninguém sabe como será o próximo governo da autonomia.

Pokémon comemora 25 anos em alta com ajuda da pandemia

O vídeojogo Pokémon, uma das franquias globais mais bem sucedidas, assinala hoje 25 anos da estreia no Japão, agora reforçado pela pandemia da covid-19 que tem impulsionado o entretenimento digital.
Comentários