Governo da Madeira anuncia apoio para passes de estudantes

O presidente do Governo da Madeira anunciou hoje que vai ser incluída no Orçamento Regional de 2019 uma verba para apoiar os passes de estudantes nos transportes públicos urbanos e interurbanos, que abrangerá “todas as famílias” da região.

O presidente do Governo da Madeira anunciou hoje que vai ser incluída no Orçamento Regional de 2019 uma verba para apoiar os passes de estudantes nos transportes públicos urbanos e interurbanos, que abrangerá “todas as famílias” da região.

“Uma das medidas que vamos aplicar já no próximo Orçamento é o apoio para os passes de transportes públicos, quer urbanos, quer interurbanos”, afirmou Miguel Albuquerque no decorrer de uma visita à III Feira de Economia Social e Económica, no Funchal.

O governante madeirense acrescentou que o executivo regional “entende ter condições orçamentais para apoiar as famílias nas deslocações nos transportes públicos”, o que vai permitir “diminuir o encargo das famílias, com a diminuição dos passes”.

Miguel Albuquerque disse não poder adiantar o valor em causa, que será divulgado aquando da apresentação da proposta orçamental para 2019.

“Será para todas as famílias”, mencionou, complementando que “depois é possível que haja uma majoração para aquelas que têm menos rendimentos”, sendo o objetivo baixar os custos que os estudantes pagam pelos passes.

O Governo Regional anunciou esta semana um “plano B” para o subsídio de mobilidade aérea, passando os estudantes no ensino superior a ter direito a quatro viagens por ano a um custo unitário de 65 euros, quando nos transportes terrestres muitos alunos têm de pagar até cerca de 100 euros, dependendo dos concelhos.

“A ideia é encontrar uma forma de baixar os custos para os estudantes”, vincou.

Miguel Albuquerque aproveitou a ocasião para criticar “a distinta lata” dos elementos do Bloco de Esquerda (BE) que marcaram presença na quinta-feira na despedida do navio da Naviera Armas, que assegurou 12 viagens nos meses de verão entre Canárias-Madeira-Portimão.

O chefe do executivo madeirense recordou que o BE foi um dos partidos que “votou contra o ferry na Assembleia da República” e os seus deputados “não apoiaram o princípio da continuidade territorial” quando a situação foi colocada a nível nacional.

Albuquerque salientou que esta operação está a ser suportada pelo Governo da Madeira, num contrato para três anos, a um custo de três milhões de euros, “quando a ministra do Mar disse que não ia apoiar”.

Ler mais
Recomendadas

Madeira: descongelamento da carreira dos enfermeiros com impacto de 20 milhões de euros

A medida deve abranger cerca de 1500 enfermeiros na Madeira.

Altice garante que não vai investir sozinha na criação de novos cabos submarinos

Alexandre Fonseca critica a postura do regulador das telecomunicações, a ANACOM, por uma “redução sucessiva nos custos do CAM (Continente-Açores-Madeira – cabo submarino), que hoje, comparativamente há três anos, foi de 87%”.

Os ginásios e a “famosa” fidelização

Não se deixe iludir por promoções ou outro tipo de ofertas. Veja se são verdadeiramente vantajosas ou se contêm alguma “armadilha”. Pagando um ano logo à partida, analise as condições de reembolso caso tenha necessidade de desistir a meio.
Comentários