Governo de Cabo Verde anuncia que 2019 será o “ano de viragem” para pescas

“O sector das pescas representa o equilíbrio da balança de troca externa de Cabo Verde. Quase 90% das exportações de Cabo Verde recai na pesca”, disse o secretário de Estado Adjunto para a Economia Marítima.

O secretário de Estado Adjunto para a Economia Marítima anunciou esta terça-feira que 2019 vai ser o “ano de viragem” para o sector das pescas em Cabo Verde, lembrando se tratar de uma área “extremamente importante” para a economia cabo-verdiana.

“2019 será o ano de viragem para o sector das pescas que é importante para a economia do país. Nós temos como política no sector a melhoria da pesca artesanal, empoderar o sector semi-industrial e criar um sector industrial”, afirmou o secretário de Estado Adjunto para a Economia Marítima, Paulo Veiga.

O governante fez essas considerações quando falava em Ribeira da Barca, no município de Santa Catarina (interior de Santiago), na abertura do VIII Encontro das Associações de Pescadores e Peixeiras de Santiago, no âmbito das comemorações do Dia do Pescador Cabo-verdiano, assinalado sob o lema “Com os pescadores pelo desenvolvimento”.

De entre os problemas colocados na ocasião pelo presidente da Cooperativa dos pescadores, Peixeiras e Armadores de Santiago Norte, José Rui de Oliveira, o mesmo disse acreditar que são “idênticos” aos de todas as vilas piscatórias, ou seja, a produção de gelo, equipamentos de frio para conservação do pescado, problema do gasóleo, arrastadores e melhoria nos cais de pescas, com os quais corrobora também Paulo Veiga.

Tendo em conta que o sector das pescas é também “fonte de proteína do povo”, Paulo Veiga afirmou que Governo tem que valorizar os pescadores, peixeiras e vendedores de peixe, tendo na ocasião garantido que até o final do ano todas essas questões vão estar resolvidas, lançando ainda como novidade, o facto de que, para a produção vão apostar em energias renováveis.

Nesse sentido, fez saber que consta no programa do Governo dar uma atenção especial ao sector das pescas, aliás, lembrou que o executivo tem estado a investir fortemente no sector das pescas e que esta dinâmica vai continuar.

Além desses problemas primários trazidos a lume, Paulo Veiga indicou que vão continuar a investir na formação para pescadores e vendedores de peixe, em termos de higiene, segurança e de mais valor ao pescado e nas outras formas de conserva do pescado que não seja só pelo frio ou pelo gelo.

“O sector das pescas representa o equilíbrio da balança de troca externa de Cabo Verde. Quase 90% das exportações de Cabo Verde recai na pesca”, disse, lembrando que Cabo Verde é 99 % mar e apenas 1% terra.

Ler mais
Relacionadas

“Falta de um mercado de peixe é evidente”, diz autarca cabo-verdiano

Aníbal Fonseca, presidente da Câmara do Porto Novo – onde a pesca constitui uma das principais actividades económicas, empregando entre 20 a 25% da população ativa local –, afirma que está a trabalhar com o governo de Cabo Verde para reestruturar infraestruturas.

Tráfego de mercadorias nos portos cabo-verdianos cresceu 12,6% em 2018

De acordo com a autoridade portuária de Cabo Verde, no ano passado, registou-se um “aumento robusto” de 109% nas escalas de navios cruzeiros, 199 escalas, e um acréscimo de 23,9% de passageiros.
Recomendadas

Ilha do Sal foi a mais procurada pelos turistas em Cabo Verde no terceiro trimestre

O Reino Unido continua sendo o principal mercado emissor de turistas, neste trimestre, com 25,1%, do total das entradas, seguindo-se Portugal, Alemanha, Holanda e França.

Comité do Banco de Cabo Verde recomenda manter orientação da política monetária

A próxima reunião está marcada para 28 de janeiro de 2020.

Café do vulcão cabo-verdiano do Fogo chega ao gigante Starbucks

Uma parceria estabelecida entre empresários holandeses e cabo-verdianos está a levar o café da ilha do Fogo, produzido biologicamente junto ao vulcão, à gigante norte-americana Starbucks, a maior rede de cafés do mundo.
Comentários