PremiumGoverno espanhol depende do amor em tempo de saldos

Vão longe os tempos em que a oposição jurou apoiar o governo a superar o terrível flagelo da pandemia de Covid-19. O executivo de coligação entre PSOE e Unidas Podemos começa a dar mostras de algum cansaço. Precoce: afinal só governa há 17 semanas.

É uma minudência: entre as várias medidas de desconfinamento decididas pelo governo socialista espanhol de Pedro Sánchez, constava a proibição de os lojistas finalmente de portas abertas lançarem saldos, promoções ou qualquer outro tipo de vendas agressivas, não fossem os sequiosos consumidores caírem na tentação da aglomeração. Uma semana depois, voltou tudo atrás: com os fundos das lojas cheios de stock, as rendas em atraso e os consumidores retidos em parte incerta, as associações industriais e comerciais lançaram um apelo urgente contra a proibição, que o governo acabou por aceitar.

Três dias depois, o líder da oposição – ou um deles, dadas as dificuldades que Sánchez enfrenta no quadro parlamentar – o popular Pablo Casado, dizia tudo numa só frase: “O que resta da legislatura será uma provação”. Sendo muito o que resta (Sánchez foi empossado na segunda semana deste ano), tudo aponta para que o executivo de coligação (parto extremamente difícil que obrigou mesmo a novas eleições que se afiguraram completamente evitáveis) passe quatro anos a navegar à vista.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumDominic Cummings: Um conselheiro de quem Boris Johnson recusa qualquer distanciamento

O estratego do Brexit nem sequer necessitou de ser eleito para ser o aliado de eleição do primeiro-ministro britânico. Ao ponto de ser mantido em funções após ser revelado que violou, sem sombra de arrependimento, as regras de confinamento durante a pandemia de Covid-19.

PremiumIPLeiria dá passo pioneiro com escolas da Irlanda

Doutoramentos conjuntos surgem no âmbito da rede europeia Regional University Network – European University, liderada pelo Politécnico de Leiria. Programa junta Athlone, Limerick e o instituto português.

PremiumMiguel Cabrita Matias: “Não vamos ter problemas no mercado de luxo”

Previsões das agências de ‘rating’ e ‘research’ estimam que este segmento não vai ser afetado pela pandemia. “É um mercado com clientes muito específicos. Das vendas previstas, não houve nenhuma desistência”, diz ‘board member’ da Mexto.
Comentários