Governo francês confirma aumento de impostos sobre combustíveis

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, confirmou esta terça-feira a intenção do governo em aumentar os impostos sobre os combustíveis a partir de janeiro.

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, confirmou esta terça-feira a intenção do governo em aumentar os impostos sobre os combustíveis a partir de janeiro.

“Se durante o ano houver um aumento do preço da matéria-prima, então podemos voltar aos níveis da taxa que foi fixada para o dia 01 de janeiro”, disse o chefe do governo francês às estações RMC-BFMTV.

O primeiro-ministro acrescentou que se o preço da matéria-prima subir devido a fenómenos “não controláveis” as taxas suplementares não “serão aplicadas”.

Édouard Philippe disse ainda que está disposto a receber uma “delegação que seja representativa” do movimento de contestação “coletes amarelos” que protesta contra o aumento do preço dos combustíveis.

Recomendadas

BCE garante não estar a “ajustar a política monetária” face aos entraves do tribunal alemão

Isabel Schnabel assegura que a decisão do Tribunal Constitucional alemão “não afeta directamente” do Banco Central Europeu. Alterações no programa de compra de ativos poderão ser anunciadas na próxima semana.

Confederações empresariais escrevem a Centeno para intervir nos seguros de crédito

Algumas confederações já se tinham queixado que as seguradoras de crédito estavam a reduzir as coberturas contratadas pelas empresas. Cinco confederações empresas escrevem agora ao ministro das Finanças a pedir para intervir e garantir seguros para risco de crédito, nomeadamente à exportação para não comprometer a fluidez das trocas comerciais. Produtos químicos e farmacêuticos, alimentar ou a construção, são alguns dos setores que precisam urgentemente de manter ou reforçar estes seguros, para evitar paragem abrupta da atividade.

Portugal quer garantir “corredor aéreo” para turismo britânico

No ano passado, mais de 16 milhões de turistas internacionais chegaram a Portugal, sendo que do total deste valor, 20% eram cidadãos do Reino Unido.
Comentários