Governo quer que universidades tenham aulas presenciais mas também à distância no próximo ano letivo

O Governo está a pedir a universidades e politécnicos planos de contingência para a conclusão deste ano letivo. Devido à continuação da pandemia, o sistema combinado de ensino presencial e à distância vai continuar no próximo ano.

Manuel Heitor, Ministro das Ciências Tecnologias e Ensino Superior | Cristina Bernardo

As universidades e politécnicos vão ter aulas à distância, mas também presenciais no próximo ano letivo, anunciou hoje o Governo devido à pandemia da Covid-19.

O Executivo está a pedir já às instituições do ensino superior para apresentarem os seus planos de contigência de regresso às aulas a partir de setembro, com as devidas regras de saúde já ativadas.

O Governo solicitou assim às instituições de ensino superior a “preparação de planos que so podem naturalmente ser adotados apos o levantamento do Estado de Emergência”, disse hoje o ministro do Ensino Superior em declarações à RTP.

Manuel Heitor disse que já recebeu “planos das mais variadas instituições, sobretudo começando com a ativação da parte presencial em atividades de investigação em laboratórios e depois de uma forma faseada para integrar a componente presencial quando é necessário nas avaliações e noutro tipo de aulas”.

Para já, o ministro defendeu que a conclusão deste ano letivo deve ser um “sistema combinado, até porque estes meses – maio, junho e julho – são particularmente importantes para nos prepararmos para o próximo ano letivo”.

No próximo ano escolar, Manuel Heitor defendeu que ao sistema combinado de aulas à distância e presenciais deverá manter-se.

“Não nos podemos esquecer que a pandemia vai se estender, por isso, o que estamos a pedir é que as instituições se preparem disciplina a disciplina, matéria a matéria, instituição a instituição, para o próximo ano letivo que será sempre um ano de um ensino combinado à distancia e de atividades presenciais, que têm de ser feitas com responsabilidade, com distanciamento e com condições de desinfeção”, afirmou Manuel Heitor.

Recomendadas

PremiumDavid Card: o Nobel da Economia com preocupações sociais

David Card estava em casa quando lhe ligaram a dizer que tinha ganho o Prémio Nobel. Vestindo um casual roupão, foi fotografado pela sua mulher, Cynthia Gessele, enquanto era entrevistado ao telefone pelo site oficial dos galardões suecos, o www.nobelprize.org.

O principal desafio para o sector das pescas é tecnológico

O presidente da Associação dos Armadores de Pesca Industrial diz que a frota precisa de um salto tecnológico que a União Europeia deveria impor e apoiar quanto antes.

Cabo Verde. Quase 400 mil cabo-verdianos escolhem novo Presidente na terceira eleição num ano

O Tribunal Constitucional admitiu as candidaturas de José Maria Pereira Neves, Carlos Veiga, Fernando Rocha Delgado, Gilson Alves, Hélio Sanches, Joaquim Jaime Monteiro e Casimiro de Pina. É a primeira vez que Cabo Verde regista sete candidatos oficiais a Presidente da República em eleições diretas
Comentários