Governo substitui administração e reorienta o Arsenal do Alfeite

O Ministério da Defesa Nacional vai escolher uma nova administração para o Arsenal do Alfeite para “uma reorientação” do estaleiro que passa pela sua internacionalização.

Cristina Bernardo

O Ministério da Defesa Nacional vai escolher uma nova administração para o Arsenal do Alfeite para “uma reorientação” do estaleiro que passa pela sua internacionalização, foi hoje anunciado.

Num comunicado enviado à Lusa, o ministério não se refere explicitamente à demissão da administração, hoje divulgada pela comissão de trabalhadores e dos sindicatos, refere a necessidade de “uma reorientação da empresa Arsenal do Alfeite, através de uma estratégia que reforce e aprofunde a capacidade de criação de valor e de internacionalização da empresa”.

A decisão de nomear novos administradores foi comunicada esta semana pelo Governo à administração do Arsenal do Alfeite, que hoje informou a comissão de trabalhadores e o Sindicato dos Trabalhadores Civis das Forças Armadas e Empresas de Defesa (STEFFAs).

Os novos administradores “serão eleitos pelo acionista Estado” logo que “estiver concluído todo o processo legal para o efeito”, lê-se no esclarecimento, em que é assinalado que o “Governo norteia o processo de formação das equipas em função dos objetivos fixados para as empresas em causa e para a economia da Defesa como um todo”.

“As novas equipas de gestão serão submetidas, nos termos da lei, a apreciação pela CRESAP [Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública], e é convicção do Governo que as mesmas reúnem o conjunto de competências, experiência do setor, e de novas áreas de negócio, que permitirão concluir com sucesso o processo de reestruturação iniciado em 2014”, escreve o Ministério da Defesa.

Na sequência da reestruturação das participações do Estado no setor da Defesa, o executivo considerou “imprescindível proceder também a uma reorientação da empresa Arsenal do Alfeite, através de uma estratégia que reforce e aprofunde a capacidade de criação de valor e de internacionalização da empresa”.

E considerou “imperioso o aproveitamento do enorme ‘know-how’”, nomeadamente “ao nível da engenharia naval” e “desenvolver uma estratégia de promoção e internacionalização da prestação de serviços e diversificação de clientes”, de acordo com o comunicado.

Ler mais
Recomendadas

Costa diz que episódio do Novo Banco minou credibilidade do PSD

O primeiro-ministro criticou também o BE, por ter chumbado o Orçamento do Estado, referindo que esse chumbo foi oportunístico e diz que os bloquistas desertaram.

João Ferreira: “Marcelo sujeitou os jovens a uma vulnerabilidade acrescida”

Nos últimos anos, a ação de Marcelo sujeitou os jovens a uma vulnerabilidade acrescida, por exemplo alargando o período experimental. Os Governos não têm governado de acordo com a Constituição”, considerou o atual eurodeputado em entrevista à TVI.
ana_catarina_mendes_ps

PS propõe “medidas de estímulo positivas” para travar desequilibro de género agravado pela Covid-19

O grupo parlamentar socialista considera que é preciso promovam o equilíbrio de género no recurso ao teletrabalho e atrair mulheres para os setores do digital e da energia, para que “não ficarem para trás no processo de transição digital e verde”.
Comentários