Greve de motoristas: Governo decreta requisição civil

Esta segunda-feira, à saída da reunião com o Presidente da República, António Costa reconheceu que, ao contrário do que tinha acontecido de manhã, tem existido incumprimento dos serviços mínimos por parte dos motoristas de matérias perigosas com grande incidência desde as 14h30. Ao final da tarde, e tal como esperado, o Governo decretou requisição civil.

O Governo decretou esta segunda-feira requisição civil esta segunda-feira para a zona sul do país a partir de Sines, abastecimentos da REPA (Rede Estratégica de Postos de Abastecimento) e aeroportos e ainda de unidades autónomas de gás natural (setores onde se registou o incumprimento dos serviços mínimos), e após reunião do Conselho de Ministros eletrónico, de forma a diminuir o efeito das greve dos motoristas de matérias perigosas que teve início à meia-noite, anunciou Tiago Antunes, secretário de Estado da Presidência do Conselho Ministros.

O governante justificou esta decisão com o facto de se ter registado incumprimento de serviços mínimos na zona sul do país a partir de Sines, abastecimentos da REPA (Rede Estratégica de Postos de Abastecimento) e aeroportos e ainda de unidades autónomas de gás natural. Relativamente ao Aeroporto de Lisboa, Tiago Antunes realçou que, no que concerne a abastecimento de combustível, apenas 25 das 119 viagens tinham sido concretizadas até às 16h00 desta segunda-feira.

Tiago Antunes explicou que a aplicação territorial da requisição civil se pautou pelo critério da proporcionalidade uma vez que só vai produzir efeitos nos locais onde foi registado o incumprimento dos serviços mínimos. Ainda assim, o secretário de Estado disse que a requisição civil será “gradual” e “progressiva”, deixando em aberto a possibilidade de estender a aplicação territorial da requisição civil em caso de alargamento do incumprimento dos serviços mínimos.

Esta segunda-feira, à saída da reunião com o Presidente da República, António Costa reconheceu que, ao contrário do que tinha acontecido de manhã, tem existido incumprimento dos serviços mínimos por parte dos motoristas de matérias perigosas com grande incidência desde as 14h30. Nesse sentido, e tendo em conta este incumprimento, António Costa realçou que o transporte de mercadorias já está a ser efetuado por forças da GNR e PSP.

O que diz o decreto-lei quanto à distribuição de combustíveis?

A requisição civil é um mecanismo legal criado pelo decreto-lei nº637/74 que explica que se trata de uma medida com “carácter excepcional”, podendo “ter por objecto a prestação de serviços, individual ou colectiva, a cedência de bens móveis ou semoventes, a utilização temporária de quaisquer bens, os serviços públicos e as empresas públicas de economia mista ou privadas”.

No fundo, este instrumento legal “compreende o conjunto de medidas determinadas pelo Governo necessárias para, em circunstâncias particularmente graves, se assegurar o regular funcionamento de serviços essenciais de interesse público ou de setores vitais da economia nacional”.

A distribuição de combustíveis constitui uma das atividades que podem ser objeto de requisição civil. Segundo o decreto-lei nº637/71, “a exploração, transformação e distribuição de combustíveis destinados a assegurar o fornecimento da indústria em geral ou de transportes públicos de qualquer natureza” justificam que o Governo decrete a requisição civil.

 

Ler mais
Relacionadas
pedro-pardal-henriques-SNMMP

“Requisição civil é um ataque à greve. Cumprimos os serviços mínimos”, sublinha Pardal Henriques

“Vejo isto [requisição civil] como um ataque à greve, até porque estas pessoas cumpriram os serviços mínimos. O Governo não esteve aqui […], estas pessoas saíram para trabalhar, simplesmente fizeram oito horas e não as 14 ou 15 horas que habitualmente fazem”, assegurou Pedro Pardal Henriques, que falava aos jornalistas em Aveiras de Cima, distrito de Lisboa.

Governo avança para a requisição civil. Anúncio será feito ao final da tarde

Primeiro-ministro abriu a ‘porta’ à implementação desta medida após a reunião com Marcelo Rebelo de Sousa. Anúncio oficial será feito ao final da tarde.

Requisição civil: o que é e quantas vezes o Governo recorreu a essa medida?

Primeiro-ministro já ‘abriu a porta’ à implementação da requisição civil tendo em conta o incumprimento de serviços mínimos. De que falamos quando se fala de uma requisição civil? Quanto vezes o Governo já recorrer a este instrumento?

“Poderemos ter danos irreversíveis”. Governo deve avançar para a requisição civil?

O Jornal Económico ouviu dois especialistas em legislação laboral que defendem que o Governo já tinha “bons argumentos jurídicos para sustentar a requisição civil” mesmo antes da greve ter início.
Recomendadas

Libra em alta depois de Barnier afirmar que um acordo para o Brexit é possível esta semana

Londres e Bruxelas continuam a negociar a saída do Reino Unido da União Europeia a poucos dias da reunião do Conselho Europeu de 17 e 18 de outubro em Bruxelas, que tem sido encarada como a última oportunidade para evitar uma saída britânica sem acordo. Os mercados, sobretudo o segmento cambial, têm sido voláteis no que respeita ao Brexit

Discurso da Rainha Isabel II coloca Brexit a 31 de outubro como prioridade na agenda britânica

Este momento, que serve principalmente para apresentar as propostas do Governo britânico para a próxima legislatura, serviu também como o momento para reafirmar que o Reino Unido irá cumprir o prazo estabelecido e sair da União Europeia a 31 de outubro, tendo em vista um acordo de livre comércio. O discurso da rainha Isabel II foi escrito, como habitualmente, pelo Governo em funções.

Boris Johnson diz que ainda há trabalho a fazer até haver acordo para o Brexit

A próxima semana vai ser decisiva para o desfecho do divórcio Londres-Bruxelas, e Boris Johnson está a tentar que existam condições para uma separação ordenada com o seu maior parceiro comercial a 31 de outubro.
Comentários