Guerra comercial custou 7,8 mil milhões de dólares à economia norte-americana

Um estudo levado a cabo por economistas de reputadas universidades norte-americanas calculou o custo das guerras comerciais impostas por Donald Trump. Em 2018 as importações norte-americanas caíram 31,5% e as exportações recuaram 11%.

A guerra comercial levada a cabo pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, custou à economia norte-americana 7,8 mil milhões de dólares (6,82 mil milhões de euros).

Segundo a agência Reuters, as contas foram feitas por um consórcio de economistas das principais universidades norte-americanas que elaboraram um relatório publicado pelo Gabinete Nacional de Economia de investigação (National Bureau of Economic research).

Os autores do relatório, que analisaram o impacto no curto-prazo das medidas protecionistas impostas por Trump, concluíram que as importações norte-americanas caíram 31,5% e que as exportações recuaram 11%. Os custos anuais dos produtores e consumidores também aumentaram para 68,8 mil milhões de dólares devido ao aumento dos preços dos bens importados para os EUA.

“Depois de se levar em consideração o aumento das receitas das tarifas aduaneiras e dos ganhos dos produtores nacionais devido ao aumento dos preços, a perda agregada foi de 7.8 mil milhões”, o que representa 0,04% dos PIB norte-americano, lê-se no estudo.

Donald Trump tem imposto medidas protecionistas para proteger a industria de transformação norte-americana. Em particular, o presidente norte-americano tem visado a China para reduzir a balança comercial que os EUA têm com a segunda maior economia do mundo.

Em 2018, Trump ameaçou aumentar as tarifas às importações de bens chineses de 10% para 25%. Desde a cimeira do G-20 na Argentina, no final de novembro, que os dois países têm estado em negociações com vista a um acordo comercial.

A data prevista para a conclusão das negociações era 1 de março. No entanto, Trump admitiu a extensão das negociações além daquela data.

 

Ler mais

Relacionadas

Já viu o “Mercados em Ação”? BCE, resultados e guerra comercial em destaque

Todas as quintas-feiras, Shrikesh Laxmidas (Diretor Adjunto do JE) e Marco Silva (consultor de estratégia e investimento) debatem os acontecimentos mais importantes nos mercados financeiros, com a participação de analistas de topo no estúdio e via Skype.
Guerra Comercial EUA-China

China avisa Estados Unidos de que acordo comercial deve ser ‘bidirecional’

Vice-ministro do Comércio internacional chinês, Wang Shouwen, mostra-se “esperançoso” nas negociações, que estão em fase de conclusão, face à pressão de Donald Trump, em finalizar o acordo.

China promete medidas para manter comércio estável e melhorar competitividade

O ministro do Comércio da China, Zhong Shan, prometeu hoje implementar políticas para manter estável o crescimento do comércio e melhorar a competitividade, numa altura de fricções com os Estados Unidos.
Recomendadas

OCDE reitera sinais de abrandamento na zona euro, Alemanha e EUA

Em relação a Portugal, o indicador compósito avançado da OCDE manteve-se em setembro pelo terceiro mês consecutivo nos 98,9 pontos, mantendo-se assim abaixo dos 100 pontos desde novembro de 2018.

CMVM: Empresas demonstram falta de conhecimento sobre finanças sustentáveis

De acordo com o relatório divulgado pelo regulador do mercados sobre os fatores ‘ESG’, as 17 entidades envolvidas nessa consulta pública, entre as quais empresas e associações representativas do setor empresarial e financeiro e dos consumidores, sinalizaram dificuldades de “imprecisão e confusão conceptual” sobre o tema.

Lisboa e Porto concentram mais de metade do poder de compra em Portugal

Apenas em 32 dos 308 municípios portugueses, o poder de compra per capita é superior à média nacional.
Comentários