Guerra comercial custou 7,8 mil milhões de dólares à economia norte-americana

Um estudo levado a cabo por economistas de reputadas universidades norte-americanas calculou o custo das guerras comerciais impostas por Donald Trump. Em 2018 as importações norte-americanas caíram 31,5% e as exportações recuaram 11%.

A guerra comercial levada a cabo pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, custou à economia norte-americana 7,8 mil milhões de dólares (6,82 mil milhões de euros).

Segundo a agência Reuters, as contas foram feitas por um consórcio de economistas das principais universidades norte-americanas que elaboraram um relatório publicado pelo Gabinete Nacional de Economia de investigação (National Bureau of Economic research).

Os autores do relatório, que analisaram o impacto no curto-prazo das medidas protecionistas impostas por Trump, concluíram que as importações norte-americanas caíram 31,5% e que as exportações recuaram 11%. Os custos anuais dos produtores e consumidores também aumentaram para 68,8 mil milhões de dólares devido ao aumento dos preços dos bens importados para os EUA.

“Depois de se levar em consideração o aumento das receitas das tarifas aduaneiras e dos ganhos dos produtores nacionais devido ao aumento dos preços, a perda agregada foi de 7.8 mil milhões”, o que representa 0,04% dos PIB norte-americano, lê-se no estudo.

Donald Trump tem imposto medidas protecionistas para proteger a industria de transformação norte-americana. Em particular, o presidente norte-americano tem visado a China para reduzir a balança comercial que os EUA têm com a segunda maior economia do mundo.

Em 2018, Trump ameaçou aumentar as tarifas às importações de bens chineses de 10% para 25%. Desde a cimeira do G-20 na Argentina, no final de novembro, que os dois países têm estado em negociações com vista a um acordo comercial.

A data prevista para a conclusão das negociações era 1 de março. No entanto, Trump admitiu a extensão das negociações além daquela data.

 

Ler mais

Relacionadas

Já viu o “Mercados em Ação”? BCE, resultados e guerra comercial em destaque

Todas as quintas-feiras, Shrikesh Laxmidas (Diretor Adjunto do JE) e Marco Silva (consultor de estratégia e investimento) debatem os acontecimentos mais importantes nos mercados financeiros, com a participação de analistas de topo no estúdio e via Skype.
Guerra Comercial EUA-China

China avisa Estados Unidos de que acordo comercial deve ser ‘bidirecional’

Vice-ministro do Comércio internacional chinês, Wang Shouwen, mostra-se “esperançoso” nas negociações, que estão em fase de conclusão, face à pressão de Donald Trump, em finalizar o acordo.

China promete medidas para manter comércio estável e melhorar competitividade

O ministro do Comércio da China, Zhong Shan, prometeu hoje implementar políticas para manter estável o crescimento do comércio e melhorar a competitividade, numa altura de fricções com os Estados Unidos.
Recomendadas

AICEP apresenta Acelerador das Exportações Online

A AICEP vai concentrar todo o seu trabalho de junho no objetivo fixado pelo Governo de promover as exportações. Na próxima terça-feira, o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, vai acompanhar a apresentação da nova ferramenta de Inteligência Artificial que é colocada ao serviço dos exportadores nacionais, o “Acelerador das Exportações Online”.

Bancos têm até hoje para enviar ao regulador planos de prevenção do branqueamento de capitais

Os bancos têm até hoje para enviarem ao Banco de Portugal os planos de financiamento e os relatórios de prevenção do branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, depois dos prolongamentos dos prazos devido à covid-19. Numa situação normal, estes relatórios já deveriam ter sido enviados pelos bancos, mas o regulador e supervisor bancário anunciou a prorrogação dos prazos em abril, considerando que é de “particular importância” a qualidade da informação financeira e prudencial no atual contexto económico. O Banco de Portugal prolongou ainda, para 12 de junho, o reporte de informação financeira em base individual e o reporte de informação para fins de supervisão aplicável às sociedades financeiras, assim como a informação sobre empresas incluídas no perímetro de consolidação e sobre a evolução da carteira de crédito.

Proprietários tem até hoje para pagar primeira fase ou a totalidade do IMI

Os quase quatro milhões de contribuintes que receberam uma nota de liquidação do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) têm até hoje para efetuar o pagamento da primeira prestação ou da totalidade do imposto.
Comentários