Há uma nova rede social em que avalia o chefe, colegas ou o táxi que o leva ao trabalho

A startup portuguesa uppOut esteve esta semana em Londres a apresentar a aplicação “PowerUpp”, disponível para sistemas Android e iOS. A plataforma pretende ser um espelho das verdadeiras qualidades daqueles com quem tem trabalha – e as suas potencialidades são avaliadas de forma anónima.

Ler mais

A startup portuguesa uppOut deslocou-se esta semana a Terras de Sua Majestade para lançar uma nova campanha da aplicação PowerUpp, uma rede social de negócios com as (reais) mais-valias do utilizador enquanto profissional e pessoa.

A aplicação funciona com base numa rede de contactos e colegas em que não é possível haver trocar de likes ou recomendações que não correspondam às verdadeiras, uma espécie de «novo LinkedIn» com um toque de «Tinder empresarial» secreto: “a verdade nua e crua das pessoas ao mercado de trabalho”.

Depois de uma apresentação na Web Summit, os colaboradores da jovem-empresa, criada há três anos por Mário Costa, Ricardo Paiágua e Pedro Bento, viajaram até Londres para apresentar a campanha “#TheNakedTruth”.

“O que existe hoje em termos de redes sociais do mundo corporativo é um hub de vaidades onde todas as pessoas têm altos cargos. A facilidade de obter endorsements faz com que os perfis das pessoas acabem por ser pouco relevantes para quem está à procura de talento”, refere Ricardo Paiágua, fundador da uppOut, sublinhando que essa ideia foi a rampa de lançamento para a app.

Os utilizadores podem recomendar e pontuar as capacidades daqueles que constam da sua rede [amigo, cliente-fornecedor, colega…] sem pressão da reciprocidade, porque a ‘nota’ é anónima. O algoritmo faz o resto e escolhe as pessoas mais qualificadas em todos os setores de atividade.

A inserção nesta rede passa por escolher uma foto de perfil, enumerar as três principais main skills, soft skills e valores, convidar amigos e colegas de trabalho e, depois, avaliar com um único click “sim” ou “não” as características dessas pessoas. Contudo, um “sim” de um chefe nas valências do utilizador vale mais pontos e impacta positivamente a credibilidade deste perfil digital. A aplicação está disponível para os sistemas iOS e Android.

Recomendadas

Inquérito/Energia: Pedro Rezende disse que Manso Neto assumiu a negociação dos CMEC pela EDP

Segundo o antigo administrador, à época, “toda a gente”, começando na Comissão Europeia, passando pelos diferentes governos e operadores, “acreditava firmemente que a liberalização do mercado ia descer os preços” da energia.

Lesados do BES: “Há centenas de queixas e o Ministério Público não dá seguimento”

Em declarações à Lusa, António Silva, um dos porta-vozes do grupo, garantiu que os lesados avançaram com queixas na justiça contra gerentes do antigo BES, mas não estão a ver resultados.

Associação de lesados do Banif espera solução até final de dezembro

Entre os lesados estão cerca de 3.500 obrigacionistas, grande parte das regiões autónomas da Madeira e dos Açores, mas também das comunidades portuguesas na África do Sul, Venezuela e Estados Unidos, num total de perdas de 263 milhões de euros.
Comentários