Hacker Rui Pinto encriptou dez discos que PJ não consegue abrir

São dezenas de milhares de gigabytes de informação a que as autoridades não conseguem aceder. A PJ diz que há “fortes indícios” da existência de novas provas.

Do material confiscado a Rui Pinto na Hungria em janeiro, as autoridades continuam sem conseguir aceder a dez discos rígidos, avança o jornal Público esta sexta-feira, 18 de outubro. Este material faz parte dos 12 discos externos e dois computadores que foram confiscados ao alegado pirata informático.

Rui Pinto encriptou estes discos impedindo assim o acesso a estes discos, que podem ser fundamentais para a investigação. Segundo o Público, são dezenas de milhares de gigabytes de informação que continuam por revelar e que podem conter mais informação sobre os alegados roubos de correspondência eletrónica e acessos ilegítimos aos sistemas informáticos de centenas de instituições públicas e privadas.

O alegado hacker  está acusado pelo Ministério Público de 175 crimes: 75 de acesso ilegítimo, 70 de violação de correspondência, um crime de tentativa de extorsão e um de sabotagem informática.

Recomendadas

Contribuições dos advogados e solicitadores para a caixa de previdência não vão sofrer aumento em 2021

Ordem dos Advogados, Ordem dos Solicitadores e dos Agentes de Execução e a direção da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores aprovaram a revisão da proposta para fator de correção do indexante contributivo para menos de 10% e o novo benefício assistencial da proteção na doença.

Violação do confinamento não é crime de desobediência, diz Tribunal de Relação de Guimarães

Por acórdão de 09 de novembro, a que a Lusa teve hoje acesso, aquele tribunal sublinha que, de acordo com a Constituição, “a criação de tipos de ilícitos criminais é matéria da reserva relativa da Assembleia da República (AR)”. “Não há dúvida de que a criação de novos crimes compete à AR em primeira linha, podendo também competir ao Governo, mas apenas com autorização da AR”, acrescenta.
Carlos Pinto Abreu Cpas

Presidente da CPAS: “Temos 7.801 advogados do apoio ao Direito com dívidas”

Os advogados reúnem-se esta quinta-feira em Assembleia para analisar a sustentabilidade da Caixa de Previdência, a fixação do fator de correção do indexante contributivo para 2021 e o novo benefício assistencial de proteção na doença.
Comentários