Helena Paiva condecorada com medalha de mérito por contribuir para consolidar relações entre Cabo Verde e Portugal

A embaixadora foi destacada por Jorge Carlos Fonseca pelo “dinamismo e competência” que demonstrou nas funções que ocupou no país e que “muito contribuiu para uma maior aproximação entre os países”.

Fernando de Pina / Lusa

O Presidente da República de Cabo Verde condecorou esta quinta-feira com a medalha de mérito a embaixadora de Portugal na Praia, Helena Paiva, pelo seu contributo para a consolidação das relações entre os dois países.

A imposição da condecoração a Helena Paiva, que esta semana termina a sua missão no arquipélago para assumir o cargo na Grécia, decorreu ao final desta manhã após uma audiência de despedida da diplomata portuguesa ao chefe de Estado cabo-verdiano.

Helena Paiva, que chegou a Cabo Verde em 2016, foi distinguida com a Primeira Classe da Medalha de Mérito por ter contribuído “para uma maior aproximação” entre Cabo Verde e Portugal, trabalhando no aprofundamento e diversificação das relações entre dos dois países, segundo o decreto presidencial publicado no Boletim Oficial.

A embaixadora é ainda destacada por Jorge Carlos Fonseca pelo “dinamismo e competência” que demonstrou nas funções que ocupou no país e que “muito contribuiu para uma maior aproximação entre os países”.

Por seu turno, Helena Paiva manifestou a sua satisfação pelas palavras e ações que lhe foram atribuídas, pelo que afirmou que foi com “súbita honra” que recebe a distinção que lhe foi conferida.

“Penso que comungamos da convenção de que Portugal e Cabo Verde tem sabido trilhar um sólido e seguro rumo, ancorado no diálogo intenso e profícuo que mantemos e que conduz o nosso relacionamento bilateral a um patamar de excelência”, disse.

Segundo a embaixadora de Portugal, a parceria foi fortemente impulsionada pela vontade que os dois países colocaram no aprofundamento da relação única e estratégica e pela certeza de que juntos encontrarão novos caminhos que reforçam os seus fraternos relacionamentos.

Helena Paiva, nos quatro anos de missão em Cabo Verde, procurou com “empenho e determinação” contribuir para o estreitamento das relações, e sempre com a aspiração de facilitar o aprofundamento do já intenso diálogo político diplomático e da densa cooperação bilateral existente.

A sua missão, segundo disse, contribuiu ainda para abrir novas avenidas de pareceria entre os dois países, criar novas pontes na defesa e promoção dos desígnios e interesse que mutuamente prosseguem.

“Não se sai deste país sem saudades. Sou também já um pouco de onde agora parto. Por isso, pela cumplicidade, franca interação e amizade que de vós levo intensifico este gesto de vossa excelência as afeiçoadas memórias que guardarei de e por Cabo Verde”, acrescentou para depois afirmar que sai deste país com o dever de missão cumprido.

Para isso, referiu que houve esforço da sua parte e da equipa que a acompanha e apontou como um desses efeitos a abertura da escola portuguesa em Cabo Verde e a concretização de cerca de dezasseis na área de cooperação interna.

Para substituir Helena Paiva, Portugal indicou o cônsul-geral de Portugal em Paris, António Albuquerque Moniz, como novo embaixador de Portugal em Cabo Verde.

Ler mais
Recomendadas

Presidente do Instituto Camões diz que 2020 foi marco da cooperação portuguesa em Cabo Verde

O presidente do instituto Camões, João Ribeiro de Almeida, afirmou hoje que 2020 foi “muito importante para a cooperação portuguesa em Cabo Verde”, com 27 projetos de apoio lançados e em curso, no valor de 2,3 milhões de euros. Segundo o responsável, que falava à Lusa à margem da inauguração do centro de hemodiálise do […]

Cabo Verde: dez mil trabalhadores do turismo deverão receber vacina na primeira fase

Olavo Correia, também titular da pasta das Finanças, fez essas declarações durante um encontro com os empresários locais, de diferentes áreas de atuação, micro, média e pequenas empresas, num dos hotéis da cidade turística de Santa Maria.
Comentários