Hiroshima completa 75 anos em cerimónia limitada devido ao coronavírus

Durante a cerimónia o presidente da Câmara de Hiroshima, Kazumi Matsui lembrou que “a 6 de agosto de 1945, uma única bomba atómica destruiu a nossa cidade. Na época, corria o boato de que ‘nada cresceria aqui durante 75 anos’ ”

Hiroshima completa esta quinta-feira, 6 de agosto, 75 anos desde o primeiro bombardeio atómico do mundo, com cerimónias reduzidas devido ao coronavírus, segundo a Reuters.

Embora milhares de pessoas geralmente ocupem o Parque da Paz no centro da cidade japonesa para orar, cantar e oferecer guindastes de papel como um símbolo de paz, a entrada, este ano, foi limitada e apenas os sobreviventes e as suas famílias puderam comparecer ao evento.

A cidade de Hiroshima optou por prosseguir com as celebrações do aniversário do bombardeio que matou 140 mil pessoas antes do final de 1945 devido à importância da cerimónia, apesar da disseminação do vírus.

“A 6 de agosto de 1945, uma única bomba atómica destruiu a nossa cidade. Na época, corria o boato de que ‘nada cresceria aqui durante 75 anos’ ”, lembrou o presidente da Câmara de Hiroshima, Kazumi Matsui. “E ainda assim, Hiroshima recuperou-se e tornou-se um símbolo de paz”, completou.

Kazumi Matsui apontou também que “um subsequente aumento do nacionalismo levou à Segunda Guerra Mundial e aos bombardeios atômicos. Jamais devemos permitir que esse passado doloroso se repita. A sociedade civil deve rejeitar o nacionalismo autocentrado e se unir contra todas as ameaças. ”

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, compareceu como é habitual, mas o número de visitantes estrangeiros reduziu. O número de participantes do evento decresceu para menos de um décimo do número normal, com cadeiras espaçadas e a maioria das pessoas estavam a usar máscaras.

Às 8h15 do dia 6 de agosto de 1945, o avião de guerra americano B-29 Enola Gay lançou uma bomba apelidada de “Little Boy” e destruiu a cidade com uma população estimada de 350.000 habitantes. Milhares morreram e surgiram doenças relacionadas à radiação.

Ler mais
Relacionadas

Japão levanta restrições à entrada de residentes estrangeiros

Atualmente, cerca de 90 mil residentes estrangeiros no Japão, incluindo trabalhadores e estudantes, estão retidos fora do arquipélago, que impede a entrada a nacionais de mais de uma centena de países, por causa da pandemia.
Recomendadas

Volkswagen rejeita mais estímulos para a indústria automóvel

Presidente executivo do grupo Volkswagen rejeita mais estímulos ou apoios dos países à indústria automóvel, depois de ter registado uma recuperação acima do esperado em setembro. Volkswagen exerceu um “forte lobby” na Alemanha para garantir apoios do Estado no início da pandemia, segundo o “Financial Times”.

Ensaio clínico de tratamento com anticorpos de coronavírus cancelado nos EUA por ineficácia

O tratamento é similar ao que o Presidente norte-americano, Donald Trump, recebeu pouco depois de ter manifestado sintomas da covid-19: anticorpos de síntese injetados de forma intravenosa, fabricados especificamente para neutralizar o novo coronavírus responsável pela doença, substituindo de facto o sistema imunitário.

Senado confirma Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal dos EUA

A designação da juíza Barrett, de 48 anos, garante assim uma maioria conservadora de 6-3 no Supremo Tribunal, o que alguns analistas consideram poder ser importante a curto prazo, se os resultados eleitorais das presidenciais de 3 de novembro forem contestados pelos republicanos, como já foi admitido pelo Presidente Donald Trump.
Comentários