Hong Kong declara estado de emergência devido a coronavírus

O país decidiu ainda manter encerradas as escolas primárias e secundárias durante as duas próximas semanas, depois das férias do Ano Novo Lunar.

Hong Kong

Hong Kong declarou o estado de emergência devido ao coronavírus, que já matou 41 pessoas. Para além disso decidiram manter encerradas as escolas primárias e secundárias durante as duas próximas semanas, depois das férias do Ano Novo Lunar.

Outra das medidas hoje conhecidas foi a decisão de bloquear o acesso de comboios e aviões com origem na cidade chinesa de Wuhan, onde o vírus foi detetado pela primeira vez no final do ano passado.

Esta cidade chinesa está de quarentena desde quinta-feira, na esperança de impedir a propagação do coronavírus, que matou 41 pessoas e contaminou quase 1.300 pacientes.

Além do território continental chinês, já foram confirmados casos em Macau, Tailândia, Taiwan, Hong Kong, Coreia do Sul, Japão, Estados Unidos, Malásia, França e Austrália.

As autoridades chinesas também já tinham anunciado novas medidas nacionais para rastrear o vírus em transportes públicos, tais como montar pontos de inspeção para controlar a circulação dos passageiros que viajem de comboio, autocarro ou aviões.

A circulação de veículos não essenciais está proibida desde as 00:00 de sábado em Wuhan, uma cidade chinesa com 11 milhões de habitantes que é o coração de uma epidemia de pneumonia viral.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde anunciou a ativação dos dispositivos de saúde pública de prevenção, enquanto o Centro Europeu de Controlo de Doenças elevou para “moderado” o risco de contágio na União Europeia, continuando a monitorizar a situação e a realizar avaliações rápidas de risco.

Ler mais
Recomendadas

Unidades de investigação nacionais captaram mais 34 milhões de euros de fundos comunitários

As áreas da saúde e da engenharia representam 77% dos novos projetos aprovados no programa ‘Widening’ do Horizonte 2020.

Cristiano Ronaldo e Jorge Mendes doam cinco ventiladores à Madeira

Para o Governo Regional, “a cedência destes equipamentos ao SESARAM e à Região vai aumentar a capacidade de resposta ao doente crítico no combate à pandemia”, juntando-se aos 99 ventiladores de que a região dispõe.

Governo legaliza estrangeiros em situação irregular 

O diploma “determina que a gestão dos atendimentos e agendamentos seja feita de forma a garantir inequivocamente os direitos de todos os cidadãos estrangeiros com processos pendentes no SEF, no âmbito da covid-19” e argumenta com a necessidade de dar resposta aos pedidos destes estrangeiros em Portugal em situação irregular.
Comentários