Hospital Curry Cabral em Lisboa com capacidade para 300 doentes com Covid-19

Este hospital está preparado para vir a receber apenas doentes com Covid-19, se a “pandemia tiver uma evolução muito dramática”, disse o primeiro-ministro de visita a esta unidade.

Twitter

O primeiro-ministro anunciou hoje que o hospital Curry Cabral em Lisboa tem a capacidade para disponibilizar mais camas se a epidemia do novo coronavírus (Covid-19) se continuar a agravar.

Este hospital está assim “preparado para poder vir a tornar-se num hospital dedicado exclusivamente a Covid-19”, com a capacidade para “centralizar aqui doentes Covid-19, mas também doentes com outras patologias e que também tenham Covid-19 e que estejam noutros hospitais na grande Lisboa”, disse António Costa esta quarta-feira.

O primeiro-ministro disse que durante a visita avaliou as “disponibilidades já existentes de camas” do hospital e a “capacidade que o hospital tem de alargar o seu potencial”.

António Costa destacou a capacidade que o Curry Cabral “tem de passar das 36 camas atualmente para um total de 300 camas, ocupando outros serviços hospitalares”, apontando que o hospital também tem “outras soluções de recurso que poderão ser necessárias se a pandemia tiver uma evolução muito dramática”.

Portugal conta, à data de hoje, com um total de 2.995 casos positivos, mais 633 face ao dia de ontem, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS)-

O país conta também com 43 vítimas mortais no país, mais 10 face às 33 reportadas na terça-feira.

Covid-19. DGS anuncia 43 mortes e 2.995 casos confirmados

Ler mais

Relacionadas

Covid-19. DGS anuncia 43 mortes e 2.995 casos confirmados

Os dados divulgados esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS) indicam a existência de 2.995 casos confirmados e 43 mortes. Existem ainda 22 casos recuperados em Portugal.
Recomendadas

Sassoli apela ao Eurogrupo: “Precisamos de encontrar formas novas e comuns de financiamento”

Em vésperas de nova ronda de negociações dos ministros das Finanças europeus, o Presidente do Parlamento Europeu defendeu que o Eurogrupo “tem de estar à altura do desafio” e que “o colapso de um país teria, inevitavelmente, consequências dramáticas para todos os outros”.

Covid-19: Coface prevê maior número de insolvências de empresas desde 2009

A empresa especilizada na gestão de crédito prevê ainda recessões em 68 países (contra apenas 11 no ano passado), uma queda do comércio mundial de 4,3% este ano (após uma queda de -0,4% em 2019), e um aumento de 25% das insolvências de empresas a nível mundial (em comparação com a nossa previsão de Janeiro passado, que era de +2%).

Pandemia: 34% dos portugueses receiam colapso da Segurança Social e 20% temem perder o emprego

Se há uma semana 81% dos portugueses inquiridos apresentava elevada preocupação face à crise atual, hoje, são 90%. E 18% dos portugueses ativos antes da epidemia afirmam já ter perdido, mesmo que temporariamente, o seu emprego.
Comentários