Hotel 1908 Lisboa abre em edifício histórico

Um dos mais emblemáticos edifícios da capital portuguesa, situado na Avenida Almirante Reis, vai receber um hotel em janeiro.

Um novo hotel vai surgir na capital portuguesa, num dos edifícios mais emblemáticos de Lisboa. Foi eleito Prémio Valmor no ano de 1908, aquando da sua construção, e situa-se entre a avenida Almirante Reis e o Largo do Intendente. O Hotel 1908 Lisboa vai abrir portas em janeiro de 2017.
Com assinatura do arquiteto Arnaldo Redondo Adães Bermudes (1864-1948), um dos expoentes da Arte Nova em Portugal, o edifício estrutura-se “em planta longitudinal que termina num corpo semicircular, coroado por uma cúpula”. As fachadas traduzem uma “linguagem decorativa Arte Nova nos azulejos e na malha sinuosa do ferro forjado, a que se alia um sabor neo-barroco, patente na cúpula do edifício e nos seus ornatos”.
O projeto de reabilitação é da autoria do ateliê Pardal Monteiro Arquitetos e o promotor é uma empresa de cariz familiar, a Villa de Santa Ana – Hotelaria e Turismo. A gestão do futuro hotel de 4 estrelas está a cargo da Amazing Evolution, responsável pela gestão de 10 hotéis de referência em Portugal. O investimento global ascende aos 6,5 milhões de euros.
Com uma área total de 2.156 m², o projeto de reabilitação interveio na totalidade do seu espaço, com cerca de 401 m2 por piso, num total aproximado de 1700 m2 de área útil.
A nova unidade apresenta 36 quartos. O hotel disporá ainda de “um restaurante — o “Infame”, sob a responsabilidade do Chef Nuno Bandeira —, um bar e uma grande esplanada voltada para o Largo do Intendente”, revelaram fontes do promotor ao Diário Imobiliário. O restaurante pretende ser “um dos pontos atrativos e também uma das maiores apostas do hotel, como forma de integração da unidade na vivência do bairro, promovendo a interação com os lisboetas e os turistas, convidando-os a visitar esta zona renovada da cidade”.

Preservar a cobertura e a cúpula
A forma da cobertura foi mantida, tanto estruturalmente como a inclinação e tipo de telha. A cúpula e restantes elementos em zinco foram integralmente substituídos por iguais, mantendo-se, também aqui, o desenho do projeto inicial.
Só foi possível arranjar espaço para colocar um elevador, implantado no saguão, utilizando os vãos existentes para os acessos, por forma a não danificar a estrutura do edifício e colocar o mínimo de cargas adicionais.
A unidade só tem a categoria de 4 estrelas “apenas porque, ao ser um edifício histórico não responde a todas as exigências de uma unidade de 5 estrelas”. No entanto, o serviço vai corresponder a um 5 estrelas.
As mesmas fontes adiantaram ainda que o novo hotel pretende trazer aos lisboetas uma programação cultural bastante ativa, convidando-os a entrar e a participar nos projetos que aí terão lugar, como e exposições e concertos, entre outras iniciativas.

Recomendadas

PremiumHostmaker: “Se matarem o alojamento local vão ter que o reativar”

David Costa, executivo da empresa em Lisboa, critica as medidas que o Estado pretende introduzir no setor no Orçamento do Estado para 2020: “O alojamento local tem custos bastante superiores ao alojamento tradicional”.

ASAE instaura 327 processos a estabelecimentos de Alojamento Local e empreendimentos turísticos

A falta de afixação da placa identificativa do alojamento local ou da classificação do empreendimento turístico e a oferta de serviços de AL por parte de estabelecimentos sem registo ou com registo desatualizado estão entre as principais infrações contraordenacionais detetadas.

Mercado de escritórios em Lisboa encerra 2019 com quebra de 6%

No último mês do ano, a ocupação de escritórios em Lisboa atingiu os 22.008 mil m2, num crescimento de 87% face ao mês anterior e de 44% em relação ao período homólogo, segundo o Office Flashpoint da consultora JLL.
Comentários