Número de turistas norte-americanos em Portugal cresceu mais de 30%

O número total de turistas norte-americanos cresceu mais de 30% em fevereiro, com o número de turistas irlandeses a subir mais de 20%. Durante o mesmo período, os turistas com origem no mercado chinês China aumentaram 14%.

Cristina Bernardo

Os dezasseis principais mercados emissores representaram 85,3% das dormidas de não residentes nos estabelecimentos de alojamento turístico em fevereiro em Portugal. Os principais destaques vão para os crescimentos registados pelos mercados norte-americano (+32,2%), irlandês (+20,9%) e chinês (+14,5%), segundo os dados do INE divulgados esta segunda-feira, 15 de abril.

Já o mercado britânico (18,4% do total das dormidas de não residentes em fevereiro) cresceu 2,1% neste mês e 3,2% no conjunto dos dois primeiros meses do ano. Os hóspedes alemães (13,1% do total) apresentaram uma quebra de 11,8% em fevereiro. Desde o início do ano, este mercado diminuiu 7,0%.

Quem também caiu foi o mercado espanhol (8,8% do total) e uma queda de 4,5% em fevereiro. Relativamente a hóspedes de França (quota de 8,6%), verificou-se uma ligeira redução (-0,6%; -2,8% em termos
acumulados). Por fim, o mercado brasileiro (6,2% do total), teve um decréscimo de 10,2% nas dormidas em fevereiro e um abrandamento de 1,2% desde o início do ano.

No total, o alojamento turístico em Portugal registou 1,4 milhões de hóspedes e 3,3 milhões de dormidas em fevereiro de 2019, correspondendo a variações de +2,9% e -1,0%, respetivamente. Resultados que foram apresentados esta segunda-feira pelo INE, e que estão condicionados pelo efeito do Carnaval, que em 2018 ocorreu em fevereiro.

Já as dormidas de residentes diminuíram 2,6% (+6,0% em janeiro) e as de não residentes reduziram-se ligeiramente (-0,2%; +3,9% em janeiro). No mês em análise, a estada média (2,42 noites) reduziu-se 3,8% (-2,5% nos residentes e -5,5% nos não residentes).

Por sua vez, os proveitos registaram um aumento, tendo no total apresentado um crescimento de 4,4% (8,8% em janeiro), atingindo 172 milhões de euros. Os proveitos de aposento (119,8 milhões de euros) cresceram 2,8% (+8,1% em janeiro).

Em termos de espaço escolhido para dormir, as dormidas na hotelaria (85,2% do total) registaram uma diminuição de 1,3% em fevereiro. As dormidas nos estabelecimentos de alojamento local (12,9% do total) cresceram 3,1%, enquanto as do turismo no espaço rural e de habitação (1,8% do total) diminuíram 10,2%.

 

Ler mais
Recomendadas

“Não há solução perfeita ou indolor para a TAP”, diz confederação de turismo

O turismo em Portugal preocupa em queda de receitas e aumento de desemprego, mas o líder da CTP acredita na retoma. Defende a prorrogação do ‘lay-off’ e uma campanha de promoção interna.

Estudo revela que três em cada dez startups do Porto correm o risco de fechar

O relatório “Impacto da Covid-19 nas Startups do Porto”, elaborado pela Porto Digital, FES Agency e Aliados Consulting, revela que 31,7% das startups têm até três meses de capital disponível.

PremiumMontepio Crédito defende CFEI para capitalizar empresas

Pedro Gouveia Alves realça que este instrumento de crédito fiscal já deu provas positivas em 2014. Autonomia financeira do setor ronda apenas os 20%.
Comentários