HSBC regista queda de 34% nos lucros de 2020

O maior banco britânico revelou que o seu lucro antes de impostos desceu de 13,3 mil milhões de dólares em 2019 para os 8,8 mil milhões de dólares, durante os 12 meses do ano passado.

Arnd Wiegmann / Reuters

O maior banco britânico fechou o ano de 2020 com uma quebra de 34% nos lucros. De acordo com a notícia divulgada, esta terça-feira, no “The Guardian”, o HSBC revelou que o seu lucro antes de impostos desceu de 13,3 mil milhões de dólares em 2019 para os 8,8 mil milhões de dólares, durante os 12 meses do ano passado. Isto numa altura em que o banco se prepara para duplicar as suas operações em Hong Kong e na China, ainda que tenha preocupações acerca da repressão política na antiga colónia britânica.

O banco divulgou ainda ter registado uma receita ajustada de 50,4 mil milhões de dólares, representando uma queda de 8% em 2019.

Os resultados divulgados não animaram os investidores britânicos em bolsa, uma vez que as ações do banco britânico estão em queda, desvalorizando 9,10% para 421.85 dólares.

Os resultados surgem na sequência do anuncio de reestruturação no banco a nível dos membros executivos, depois do diretor financeiro, Ewen Stevenson, ter assumido a responsabilidade pelo programa de transformação do grupo e sua agenda de fusões e aquisições. Por sua vez, Stephen Moss, antigo chefe de estratégia, assumirá o cargo de chefe-executivo para o Oriente Médio, Norte da África e Turquia.

Recomendadas

CEO do Goldman Sachs anuncia investimento de 156 mil milhões de dólares na sustentabilidade

David Solomon, presidente e CEO da Goldman Sachs, anunciou o progresso anual rumo ao compromisso do banco norte-americano em termos de Sustainable Finance Commitment. O banco norte-americano quer que os EUA regressem ao Acordo de Paris.

PremiumDeco perde ação judicial contra ex-gestores do BES

Era uma mega ação de pedido de indemnização em nome dos pequenos acionistas que foram lesados pelo aumento de capital do antigo BES, mas o Tribunal da Relação manteve a decisão desfavorável à Deco.

“A comissão executiva aprovou dois planos de redução de pessoal”, diz CEO do Santander

Pedro Castro e Almeida, presidente executivo do Banco Santander Totta, respondeu por escrito ao Jornal Económico sobre os resultados anuais de 2020, que caíram 43,9%.
Comentários