Huawei quer participar na implementação do 5G no Brasil, mas Bolsonaro diz que não “foi feita” uma proposta

O interesse da Huawei no 5G no Brasil poderá colocar à prova o alinhamento de Bolsonaro com o presidente norte-americano Donald Trump.

Depois de Brasil e China terem firmado acordos de cooperação nas áreas de serviços, investimentos, transporte e medicina tradicional, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, revelou que a tecnológica chinesa Huawei quer implementar a quinta geração da rede móvel (5G) no país. Contudo, nenhuma proposta concreta estará em cima da mesa.

De acordo com a imprensa brasileira, a gigante chinesa estará atenta à industria das telecomunicações no Brasil, tendo em conta que em 2020, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o regulador do setor das comunicações, deverá promover um leilão as frequências para explorar o 5G em 2020.

Contudo, à margem de um encontro entre Bolsonaro e o líder da Huawei Brasil, Wei Yao, que decorreu na segunda-feira, o presidente do Brasil disse que “não foi feita a proposta”- “Ele [Wei Yao] apenas mostrou que quer o 5G no Brasil”, acrescentou.

O encontro entre o chefe de Estado brasileiro com o responsável da Huawei no Brasil ocorreu dias depois de uma reunião entre Bolsonaro e o presidente da China, Xi Jinping, por causa da 11.ª cimeira dos BRICS (bloco económico das economias emergentes, nomeadamente Brasil, Rússia, Índia e África do Sul).

O interesse da Huawei no 5G no Brasil poderá colocar à prova o alinhamento de Bolsonaro com os EUA. O 5G é um dos focos de conflito entre os Washington e Pequim, já que a Huawei conseguiu posicionar-se na vanguarda do desenvolvimento desta tecnologia e é a empresa com mais patentes relacionadas à 5G em todo o mundo. A administração Trump acusa a Huawei de representar uma forma de o Estado chinês espiar outras potências. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, impôs, por isso, restrições à empresa chinesa.

Até agora, Bolsonaro está alinhado com a postura de Trump. Mas, tendo em conta que o Brasil é um importante fornecedor de matérias primas para a China, cujo apetite por soja, petróleo e minério de ferro brasileiros se multiplicou nas últimas décadas, devido ao crescimento da economia chinesa, o alinhamento do presidente brasileiro com Washinton poderá ser colocado à prova.

Ler mais
Recomendadas

Espiões russos usaram os Alpes franceses como base para ataques em vários países

Os agentes suspeitos do homicídio de Sergei Skripal no Reino Unido em 2018 passaram por esta região. No total, passaram pelos Alpes 15 operacionais da unidade 29155 da agência de espionagem russa GRU.

Cidade versus campo: Tribunal francês dá razão a 60 patos considerados “barulhentos”

O vizinho argumentou que não conseguia dormir com as janelas abertas, mas o tribunal considerou que estavam asseguradas as devidas distâncias entre as duas propriedades.

FMI aprova segunda fase do programa de Angola e ‘dá’ 222 milhões de euros

O Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou hoje o pagamento de 247 milhões de dólares a Angola, no seguimento da aprovação da segunda avaliação do programa de ajustamento financeiro, num total de 3,7 mil milhões de dólares.
Comentários