IGCP vai ao mercado levantar entre 1,25 mil a 1,5 mil milhões a curto prazo na quarta-feira

As emissões são a seis meses e a um ano. Na última emissão comparável, a 16 de janeiro, Portugal emitiu 1.750 milhões de euros em dívida de curto prazo, 500 milhões de euros em bilhetes do tesouro a 6 meses e 1.250 milhões de euros a 1 ano.

Cristina Bernardo

O IGCP vai realizar, no próximo dia 20 de março pelas 10h30 dois leilões das linhas de BT (Bilhetes do Tesouro) com maturidades em 20 de setembro de 2019 e 20 de março de 2020, com um montante indicativo global entre 1.250 milhões e 1.500 milhões de euros.

As emissões são a seis meses e a um ano. Na última emissão comparável,  a 16 de janeiro, Portugal emitiu 1.750 milhões de euros em dívida de curto prazo, 500 milhões de euros em bilhetes do tesouro a 6 meses e 1.250 milhões de euros a 1 ano.

Na altura, a 16 de janeiro de 2019, e apesar da procura ter sido inferior às colocações anteriores, deu-se uma diminuição das yields, a 6 meses para quase -0,4%, taxa que o BCE paga pelos depósitos, e a 12 meses de -0,327% para -0,36%. “O que é demonstrativo da confiança no mercado de dívida portuguesa, na economia nacional e num abrandamento da inversão da política monetária do BCE para contracionista”, segundo a análise naquele dia de Filipe Silva, do Banco Carregosa.

 

 

Relacionadas

Portugal emitiu 862 milhões em dívida a dez anos com a taxa mais baixa de sempre

Agência liderada por Cristina Casalinho emitiu ainda 388 milhões de euros com maturidade a sete anos, pagando uma taxa de alocação de 0,763%.

Tesouro emite hoje até 1.250 milhões de euros em dívida a sete e dez anos

No mercado secundário as yields portuguesas a dez anos negoceiam em mínimos históricos. Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública realiza hoje leilão duplo de Obrigações do Tesouro (OT) a sete e dez anos, depois de ter pago a taxa mais baixa de sempre no financiamento nesta última maturidade no leilão de fevereiro.
Recomendadas

Wall Street anima com notícias da Fed e fecha no verde

Hoje instituição liderada por Jerome Powell disse que a taxa de juro diretora vai continuar no intervalo entre 2,25% e 2,50%, após a reunião de dois dias que terminou esta quarta-feira. O Dow subiu 0,15%.

Powell responde a Trump: “Tenho um mandato de quatro anos e pretendo cumpri-lo”

A guerra de palavras entre os presidentes da Fed e dos Estados Unidos não dá sinais de quebra. “A lei é clara”, disse Powell sobre o mandato, depois de Trump ter mostrado reticência quando questionado sobre um eventual plano para demitir o ‘chairman’ do banco central.

Fed mantém taxa inalterada, mas troca “paciente” por “agir de forma apropriada”

A ‘federal funds rate’ continua fixada num intervalo entre 2,25% e 2,50%, anunciou o Federal Open Market Committee (FOMC), após a reunião de dois dias que terminou esta quarta-feira.
Comentários