‘Impeachment’. Trump promete divulgar transcrição de outra chamada com presidente ucraniano

Trump avançou que divulgaria a transcrição esta terça-feira, descrevendo-a para os repórteres como “muito importante”. Ao que tudo indica, esta segunda chamada terá ocorrido depois da primeira que desencadeou o processo de destituição contra o presidente norte-americano.

Jim Lo Scalzo/REUTERS

A um dia do início da recolha de testemunhos para o processo de destituição (impeachment), Donald Trump anunciou que vai revelar a transcrição de um segundo telefonema com o Presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, realizada antes da chamada que desencadeou a investigação contra si.

Aos jornalistas, Trump avançou que divulgaria a transcrição esta terça-feira, descrevendo-a para os repórteres como “muito importante”. O líder da Casa Branca, que tinha já referido a mesma questão na sexta-feira, confirmou: “Realmente, tive dois telefonemas com o presidente da Ucrânia”.

Esta segunda conversa poderá ter ocorrido a 21 de abril, dia em que o líder ucraniano. A primeira, segundo o documento que foi divulgado pela Casa Branca, ocorreu a 25 de julho.

A 22 de abril a administração revelou que Donald Trump felicitou Zelenski pela sua vitória num “momento importante” da história do país e manifestou-lhe “o apoio inabalável dos Estados Unidos à soberania e integridade territorial da Ucrânia – dentro das suas fronteiras internacionalmente reconhecidas”. Durante essa conversa, que aconteceu no domingo da sua eleição (21 de abril) Trump terá pedido a Zelenski para incentivar a investigação ao filho de Joe Biden, favorito para vir a ser o candidato democrata às presidenciais de 2020.

“O que puder fazer com o procurador-geral dos EUA seria ótimo”. Conheça a conversa entre Trump e Zelensky

O Partido Democrata quer investigar se Trump pressionou o presidente da Ucrânia a reabrir um inquérito criminal vinculado à família de Joe Biden em troca de restaurar a ajuda militar dos EUA ao Estado ucraniano. Contudo, a transcrição revelada pela Casa Branca não evidencia explicitamente se o pedido de Trump seria moeda de troca para restaurar a ajuda militar norte-americana ao país, que desde 2014 mantém uma tensa relação com a Rússia na região fronteiriça da Crimeia.

Ainda que a conversa tenha sido divulgada, o documento que tem o nome de “Memorando de conversa telefónica” contem a nota de que não se trata de “uma transcrição literal”. “O texto deste documento regista as anotações e notas dos oficiais de serviço da Situation Room designados para ouvir e memorizar as conversas por escrito, conforme a conversa ocorre”, lê-se.

As conversas entre presidentes dos EUA e os seus homólogos estrangeiros são geralmente confidenciais, e os memorandos que os documentam são secretos. Ainda que Trump tenha expressado dúvidas em divulgar a transcrição da conversa com Zelenskiy, por não querer abrir um precedente, a pressão crescente dos democratas e de alguns republicanos levou-o a ordenar publicação do documento.

Ler mais
Recomendadas

Mais de 50 turistas portugueses em Bali regressam a Lisboa no domingo

Mais de 50 portugueses e 90 outros cidadãos europeus partem domingo da ilha indonésia de Bali num voo de repatriamento fruto de complexas negociações que envolveram a empresa dona do cruzeiro MSC Fantasia, que atracou em Lisboa.

Covid-19: Morreram mais 708 pessoas no Reino Unido e total sobe para 4.313

O número de mortes de pessoas infetadas com covid-19 aumentou em 708 nas últimas 24 horas no Reino Unido, fazendo o total subir para 4.313, informou hoje o ministério da Saúde britânico.

Covid-19: Quando fugir do coronavírus em Moçambique implica sobreviver a ataque armado

Paulinho Miguel fugiu da agitada rotina em Maputo, a capital moçambicana, para se prevenir do novo coronavírus e teve de sobreviver a um ataque armado no centro do país, para chegar ao confinamento na sua terra natal.
Comentários