‘Impeachment’. Trump promete divulgar transcrição de outra chamada com presidente ucraniano

Trump avançou que divulgaria a transcrição esta terça-feira, descrevendo-a para os repórteres como “muito importante”. Ao que tudo indica, esta segunda chamada terá ocorrido depois da primeira que desencadeou o processo de destituição contra o presidente norte-americano.

Jim Lo Scalzo/REUTERS

A um dia do início da recolha de testemunhos para o processo de destituição (impeachment), Donald Trump anunciou que vai revelar a transcrição de um segundo telefonema com o Presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, realizada antes da chamada que desencadeou a investigação contra si.

Aos jornalistas, Trump avançou que divulgaria a transcrição esta terça-feira, descrevendo-a para os repórteres como “muito importante”. O líder da Casa Branca, que tinha já referido a mesma questão na sexta-feira, confirmou: “Realmente, tive dois telefonemas com o presidente da Ucrânia”.

Esta segunda conversa poderá ter ocorrido a 21 de abril, dia em que o líder ucraniano. A primeira, segundo o documento que foi divulgado pela Casa Branca, ocorreu a 25 de julho.

A 22 de abril a administração revelou que Donald Trump felicitou Zelenski pela sua vitória num “momento importante” da história do país e manifestou-lhe “o apoio inabalável dos Estados Unidos à soberania e integridade territorial da Ucrânia – dentro das suas fronteiras internacionalmente reconhecidas”. Durante essa conversa, que aconteceu no domingo da sua eleição (21 de abril) Trump terá pedido a Zelenski para incentivar a investigação ao filho de Joe Biden, favorito para vir a ser o candidato democrata às presidenciais de 2020.

“O que puder fazer com o procurador-geral dos EUA seria ótimo”. Conheça a conversa entre Trump e Zelensky

O Partido Democrata quer investigar se Trump pressionou o presidente da Ucrânia a reabrir um inquérito criminal vinculado à família de Joe Biden em troca de restaurar a ajuda militar dos EUA ao Estado ucraniano. Contudo, a transcrição revelada pela Casa Branca não evidencia explicitamente se o pedido de Trump seria moeda de troca para restaurar a ajuda militar norte-americana ao país, que desde 2014 mantém uma tensa relação com a Rússia na região fronteiriça da Crimeia.

Ainda que a conversa tenha sido divulgada, o documento que tem o nome de “Memorando de conversa telefónica” contem a nota de que não se trata de “uma transcrição literal”. “O texto deste documento regista as anotações e notas dos oficiais de serviço da Situation Room designados para ouvir e memorizar as conversas por escrito, conforme a conversa ocorre”, lê-se.

As conversas entre presidentes dos EUA e os seus homólogos estrangeiros são geralmente confidenciais, e os memorandos que os documentam são secretos. Ainda que Trump tenha expressado dúvidas em divulgar a transcrição da conversa com Zelenskiy, por não querer abrir um precedente, a pressão crescente dos democratas e de alguns republicanos levou-o a ordenar publicação do documento.

Ler mais
Recomendadas

Espiões russos usaram os Alpes franceses como base para ataques em vários países

Os agentes suspeitos do homicídio de Sergei Skripal no Reino Unido em 2018 passaram por esta região. No total, passaram pelos Alpes 15 operacionais da unidade 29155 da agência de espionagem russa GRU.

Cidade versus campo: Tribunal francês dá razão a 60 patos considerados “barulhentos”

O vizinho argumentou que não conseguia dormir com as janelas abertas, mas o tribunal considerou que estavam asseguradas as devidas distâncias entre as duas propriedades.

FMI aprova segunda fase do programa de Angola e ‘dá’ 222 milhões de euros

O Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou hoje o pagamento de 247 milhões de dólares a Angola, no seguimento da aprovação da segunda avaliação do programa de ajustamento financeiro, num total de 3,7 mil milhões de dólares.
Comentários