Imprensa britânica critica primeiro-ministro: O “homem invisível”, Johnson “humilhado” e “Luxemburgo ri-se na cara” de Boris

Boris Johnson rejeitou participar numa conferência de imprensa ao ar livre devido aos protestos contra o Brexit que se faziam sentir na rua. Governo do Luxemburgo rejeitou mudar o local do evento. Episódio faz hoje as manchetes da imprensa britânica.

EPA/JULIEN WARNAND

Boris Johnson devia estar ao lado do seu homólogo do Luxemburgo na conferência de imprensa conjunta, mas rejeitou estar presente. O primeiro-ministro britânico optou por cancelar a sua presença devido aos inúmeros protestos que se faziam ouvir em frente do edifício onde decorreram as reuniões e a conferência de imprensa de cadeira vazia. A conferência de imprensa decorreu num pátio ao ar livre, visível da rua onde decorriam os protestos.

O jornal The Guardian não teve dúvidas: Boris Johnson foi “humilhado” pelo primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel.

Na manifestação, britânicos que vivem no Luxemburgo gritavam palavras de ordem como “abaixo o Brexit” e “desaparece Boris”.

“O protesto é um direito em democracia e é também importante trocar ideias e ouvir os outros”, disse o primeiro-ministro do Luxemburgo que apontou várias vezes para o pódio vazio ao seu lado.

Bettel qualificou o Brexit como um “pesadelo” e garantiu que o Reino Unido não apresentou propostas. “Não há propostas concretas neste momento na mesa”, afirmou, defendendo que a União Europeia precisa mais do que palavras. Por seu turno, Boris Johnson disse à BBC que o trabalho foi intenso no Luxemburgo e que “papéis foram partilhados”.

Uma fonte do Governo britânico disse que Boris Johnson pediu para que a conferência de imprensa tivesse lugar dentro do edifício, longe do público, mas o Governo do Luxemburgo recusou o pedido. Downing Street disse que o primeiro-ministro receava que não conseguisse ser ouvido devido aos protestos, segundo o Independent.

Por seu turno, o Governo luxemburguês disse que o interior do edifício não tinha condições para albergar tantos jornalistas. Londres sugeriu escolher um lote de jornalistas para acompanhar o evento, ao que o Governo de Bettel rejeitou por ser injusto.

Boris Johnson queria usar o encontro com Xavier Bettel e com presidente cessante da Comissão Europeia, o também luxemburguês Jean-Claude Juncker para transmitir a ideia de que as negociações sobre o Brexit estão a avançar.

Xavier Bettel perguntou a Boris Johnson se planeava realizar um segundo referendo sobre o Brexit, como proposto pelo ex-primeiro David Cameron, o autor do primeiro referendo.

“O senhor Johnson disse que não haveria um segundo referendo, e eu perguntei-lhe: isso não seria uma solução para sair desta situação?”, afirmou o primeiro-ministro luxemburguês.

Episódio no Luxemburgo faz a manchete na imprensa britânica

A situação está a marcar as primeiras páginas dos jornais britânicos esta terça-feira. A manchete do Daily Telegraph diz que o “Luxemburgo riu-se na cara de Johnson”.

“Tudo termina em gozo. Manifestantes obrigam primeiro-ministro a cancelar conferência de imprensa”, escreve o Metro.

“Johnson foi humilhado. Visita do Brexit acaba em caos”, segundo o The Guardian.

O mais sóbrio Financial Times chama “homem invisível” ao primeiro-ministro britânico. “Jonhson evita manifestantes”.

Outros jornais criticaram a postura do Governo do Luxemburgo: “Não admira que o Reino Unido tenha votado para sair da União Europeia”, escreveu o Daily Express.

Já o The Times dá conta da “Raiva entre os conservadores por Johnson ter sido emboscado na Europa”.

 

Ler mais
Relacionadas

Brexit: Juncker recorda a Johnson que cabe ao Reino Unido apresentar propostas

O presidente Juncker sublinhou a permanente disponibilidade e abertura da Comissão para examinar se essas propostas correspondem aos objetivos do ‘backstop’”.

Juncker e Boris Johnson tentam hoje uma aproximação de posições

O presidente da Comissão e o primeiro-ministro britânico almoçam hoje no Luxemburgo com o backstop como prato forte. O encontro tem todos os ingredientes para se indigesto.

Eurogrupo vai analisar “o grau de preparação para o Brexit”

À entrada do Eurogrupo desta sexta-feira, Mário Centeno indicou que os ministros das Finanças vão debater a situação económica da Europa.
Recomendadas
Steve King com Donald Trump

Republicanos livram-se do rosto da supremacia branca em Washington

Congressista Steve King foi derrotado nas primárias republicanas no círculo do estado do Iowa que representa desde 2002. Perda de influência na Câmara dos Representantes após afirmações polémicas dita afastamento do político que ainda se tentou agarrar a um elogio de Donald Trump.

Iémen: o lado esquecido do mundo

ONU pedia 2,4 mil milhões de dólares à conferência de doadores, mas os países envolvidos não conseguiram ir além dos 1,35 mil milhões. A guerra civil e a Covid-19 deixaram 28 milhões de pessoas desesperadas. Entretanto Riade e Teerão prometem não deixar a guerra.

Rede social Snapchat vai deixar de promover mensagens de Donald Trump

A empresa da rede social Snapchat, popular entre os jovens, acusou o Presidente dos EUA de incitar à “violência racial”, anunciando que deixará de promover as mensagens da conta de Donald Trump.
Comentários