Índia com recorde de casos e número mais alto de mortes desde novembro

A Índia iniciou a campanha de vacinação em janeiro. Até agora, mais de 90 milhões de profissionais de saúde e pessoas com mais de 45 anos receberam pelo menos uma vacina.

Photo by Sajjad HUSSAIN / AFP

A Índia registou nas últimas 24 horas um recorde de casos de infeção com o novo coronavírus (126.789), contabilizando ainda 685 mortos por covid-19, o número mais alto desde novembro, segundo dados oficiais.

A informação foi avançada hoje, no dia em que o primeiro-ministro, Narendra Modi, recebeu a sua segunda injeção e instou outros a seguirem o exemplo, afirmando: “A vacinação está entre as poucas formas que temos de derrotar o vírus”.

A Índia iniciou a campanha de vacinação em janeiro. Até agora, mais de 90 milhões de profissionais de saúde e pessoas com mais de 45 anos receberam pelo menos uma vacina. Apenas 11 milhões receberam ambas as doses, enquanto a Índia tenta construir uma imunidade para proteger os quase 1,4 mil milhões de habitantes.

Dezenas de cidades e vilas estão a impor recolher obrigatório noturno para tentar conter o surto, mas o Governo federal recusou-se a impor um segundo confinamento a nível nacional por recear prejudicar a economia.

O número de mortos (685) nas últimas 24 horas é o mais alto registo diário desde novembro. O estado ocidental de Maharashtra, o mais atingido no país, foi responsável por quase 47% das novas infeções.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.874.984 mortos no mundo, resultantes de mais de 132,3 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ler mais
Recomendadas

Movimento ‘Save the Travel Industry’ escolhe o Algarve para mostrar que é possível viajar em segurança

Com este propósito, seis representantes de reconhecidas agências de viagens do mercado alemão, que integram este movimento, estão na região do Algarve durante uma semana, de 18 até ao próximo dia 25 de abril.

Bruxelas admite levar AstraZeneca à justiça e não renovar contrato por falhas

O comissário europeu da Justiça disse hoje, em entrevista à Lusa, que Bruxelas equaciona um processo judicial contra a farmacêutica AstraZeneca, por entregas de vacinas anticovid-19 atrasadas e abaixo do contratualizado, admitindo também não firmar novo contrato.

CPPME pede mais medidas para a preservação do tecido empresarial português

A confederação mostra-se preocupada com a ineficácia, burocracia e atrasos nos apoios até aqui definidos, pedindo, portanto, mais medidas que visem a retoma económica das micro, pequenas e médias empresas.
Comentários