PremiumIndústria automóvel nacional prevê queda de 20% na atividade este ano

A ACAPe a AFIA antecipam ao JE uma quebra de 20% na produção nacional de automóveis e de componentes em 2020. E a Aicep diz que 2021 será o início da adaptação à produção de elétricos.

A indústria automóvel portuguesa, que integra cinco fábricas das marcas e mais de 240 empresas produtoras de componentes, deve registar uma quebra de aproximadamente 20% na atividade anual de 2020, segundo previsões admitidas ao Jornal Económico (JE) pelos secretários gerais da ACAP – Associação Automóvel de Portugal, Hélder Pedro, e da AFIA – Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel, Adão Ferreira.o emissões “representa cerca de 18% do mercado total de ligeiros de passageiros. Também é certo que as vendas de veículos elétricos vão continuar a crescer”, adianta a fonte.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários