PremiumISQ na corrida para o primeiro satélite 100% português

O ISQ é uma das empresas pontas de lança para colocar Portugal na nova vaga de conquista espacial e consolidar um ‘cluster’ aeronáutico. Satélites, foguetões, bases de lançamento, veículos de reentrada na atmosfera, reatores de fusão nuclear são o admirável mundo novo.

O ISQ – Instituto de Soldadura e Qualidade é uma das empresas nacionais que estão a colocar Portugal bem posicionado na nova corrida ao espaço, contribuindo para a consolidação de um cluster empresarial do setor que poderá ter nas próximas décadas tanta influência e dimensão como o da indústria automóvel e de componentes significou para a economia nacional a partir dos anos 90 do século passado. Além de uma presença de mais de 15 anos nos principais projetos de foguetões espaciais Vega, Soyuz e Arianne, a partir do Centro Espacial Europeu, em Kourou, na Guiana Francesa, o ISQ tem em mãos mais de uma vintena de projetos internacionais.

Em declarações exclusivas ao Jornal Económico, Pedro Matias, presidente do ISQ, revela em primeira mão os pormenores destes projetos, exemplos de uma crescente atividade que levou o grupo de uma faturação de menos de 43 milhões de euros em 2016 para mais de 50 milhões de euros no ano passado. Desde o primeiro satélite 100% português a uma sonda espacial a Marte com revestimento a cortiça, passando pela atividade desenvolvida no acelerador de partículas do CERN ou pelo desenvolvimento de uma asa de avião para a Embraer, sem esquecer o futuro porto aeroespacial em Santa Maria, nos Açores.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumJuan Carlos I: O rei sai nu

O exílio do rei emérito é a última oportunidade de preservação da monarquia espanhola – apesar de a possibilidade de secessão ser o verdadeiro problema do país. Juan Carlos ficará conhecido na história como o rei que atirou para o lixo a página dourada que sobre ele já tinha sido escrita e a substituiu por uma garatuja onde se acotovelam animais mortos, amantes e corrupção.

PremiumRicardo Costa: Identidade apurada ao sabor do tempo

40 anos de idade, 20 anos de carreira e 10 anos à frente do restaurante The Yeatman, com uma vista imperdível sobre o rio Douro. O chef Ricardo Costa soma números redondos de idade e experiência, além das duas estrelas Michelin que já tinha no cardápio, num ano que não está a ser fácil para o mundo. Fomos conhecer o homem por detrás da jaqueta de chef.

PremiumNasdaq: O imparável índice que avança à alta velocidade tecnológica

A aceleração da transição digital em tempos de pandemia, aliada ao apetite dos investidores pelo risco, tem levado o Nasdaq Composite a quebrar recordes sucessivos. Gigantes tecnológicas como a Apple, a Amazon, a Google e a Microsoft dominam um ‘rally’ que os analistas dizem que não deverá travar nos próximos tempos.
Comentários