Irão. Parlamento apoia Guarda revolucionária na captura do navio britânico

Os deputados expressaram este domingo, 22 de julho, o seu apoio à captura do petroleiro “Stena Impero” no estreito de Ormuz.

Raheb Homavand / Reuters

A captura no estreito de Ormuz  pela Guarda Revolucionária do navio com bandeira do Reino Unido está a gerar forte tensão entre os dois países envolvidos – Irão e Reino Unido – e a região do Golfo em geral.

Já este domingo, o Parlamento iraniano respaldou a decisão da Guarda Revolucionária. “Os britânicos cometeram um ato de pirataria e nós respondemos”, declarou o presidente do Parlamento, Ali Lariyaní, na abertura da sessão parlamentar.

Os deputados votaram igualmente uma moção de apoio e agradecimento à ação da Guarda Revolucionária.

O petroleiro e os seus 23 tripulantes encontram-se detidos no porto iraniano de Bandar Abas, enquanto decorre uma investigação pela suposta infração das normas de navegação internacionais.

A tensão entre o Irão e o Reino Unido subiu de tom no início de julho quando a marinha do Reino Unido capturou um petroleiro com bandeira do Panamá usado pelo Irão na costa de Gibraltar. Os Estados Unidos acusaram o navio de transportar petróleo iraniano para a Síria, violando as sanções da União Europeia.

Recomendadas

Banco central baixa previsão sobre queda da economia brasileira para 5%

As novas estimativas estão em linha com as projeções de agentes do mercado consultados semanalmente pelo Banco Central, que prevê uma retração económica de 5,05% no PIB brasileiro em 2020. O Brasil ainda recupera de uma grave recessão entre os anos de 2015 e 2016, período em que o PIB caiu sete pontos percentuais.

Rússia anuncia que vai cooperar com o Irão

O ministro das Relações Exteriores russo disse que o seu país iniciará imediatamente a cooperação com o Irão assim que o embargo sobre a venda de armas expirar – o que acontecerá em outubro.

Angola: Manuel Vicente denuncia manobra de diversão

O ex-vice-presidente de Angola Manuel Vicente negou ter-se apropriado de 193 milhões de euros da Sonangol, como denunciou o antigo gestor de Isabel dos Santos, e apelida a acusação de “indecorosa manobra de diversão”.
Comentários