Irão. Parlamento apoia Guarda revolucionária na captura do navio britânico

Os deputados expressaram este domingo, 22 de julho, o seu apoio à captura do petroleiro “Stena Impero” no estreito de Ormuz.

Raheb Homavand / Reuters

A captura no estreito de Ormuz  pela Guarda Revolucionária do navio com bandeira do Reino Unido está a gerar forte tensão entre os dois países envolvidos – Irão e Reino Unido – e a região do Golfo em geral.

Já este domingo, o Parlamento iraniano respaldou a decisão da Guarda Revolucionária. “Os britânicos cometeram um ato de pirataria e nós respondemos”, declarou o presidente do Parlamento, Ali Lariyaní, na abertura da sessão parlamentar.

Os deputados votaram igualmente uma moção de apoio e agradecimento à ação da Guarda Revolucionária.

O petroleiro e os seus 23 tripulantes encontram-se detidos no porto iraniano de Bandar Abas, enquanto decorre uma investigação pela suposta infração das normas de navegação internacionais.

A tensão entre o Irão e o Reino Unido subiu de tom no início de julho quando a marinha do Reino Unido capturou um petroleiro com bandeira do Panamá usado pelo Irão na costa de Gibraltar. Os Estados Unidos acusaram o navio de transportar petróleo iraniano para a Síria, violando as sanções da União Europeia.

Recomendadas

Novo Presidente argentino quer agenda ambiciosa com o Brasil, para além da tensão com Jair Bolsonaro

O Presidente da Argentina, Alberto Fernández, destacou esta terça-feira no Brasil no seu discurso de posse no parlamento e pediu uma “agenda ambiciosa” apoiada pela história dos dois povos e não pela “diferença pessoal” com o seu homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro.

Boris Johnson admite risco de falhar maioria absoluta nas eleições legislativas

Johnson aludiu às eleições de 2017, quando a antecessora Theresa May tinha uma vantagem nas sondagens mas acabou por não conseguir uma maioria de deputados na Câmara dos Comuns, precisando do apoio do Partido Democrata Unionista (DUP) da Irlanda do Norte para formar governo.

Boris Johnson recria cena da porta do filme “O amor acontece”. Hugh Grant já criticou vídeo

Na nova versão, o primeiro-ministro britânico pede o voto ao seu eleitorado para que o Reino Unido consiga avançar no processo do Brexit. Hugh Grant, que entrou no filme, já criticou o filme.
Comentários