Isabel Camarinha eleita secretária-geral da CGTP

A sindicalista, militante comunista, vai substituir Arménio Carlos, que deixa a liderança da CGTP após oito anos, devido ao limite da idade.

Isabel Camarinha | CGTP

Isabel Camarinha foi hoje eleita secretária-geral da CGTP com 115 votos favoráveis que recebeu dos 147 elementos do Conselho Nacional da central sindical.

A eleição foi realizada durante a madrugada de hoje, após a eleição do Conselho Nacional, no âmbito do 14.º Congresso da CGTP, que decorre no Seixal.

A nova líder da maior central sindical do país recebeu ainda 25 votos brancos e um nulo.

Foi ainda eleita a nova comissão executiva da CGTP, com 134 votos a favor e nove brancos.

Em declarações aos jornalistas na altura em que foram apresentados os resultados, Isabel Camarinha considerou ser uma honra ser a primeira mulher secretária-geral da CTGP.

“A participação das mulheres tem vindo a aumentar no mundo do trabalho, portanto é natural que assumam funções diversas no movimento sindical”, destacou.

A sindicalista, militante comunista, vai substituir Arménio Carlos, que deixa a liderança da CGTP após oito anos, devido ao limite da idade.

Quanto às prioridades para o seu mandato, Isabel Camarinha referiu, horas antes de ser eleita, o aumento dos salários, o fim dos horários “desregulados” e a conciliação da vida profissional com a familiar.

Nesta ocasião, Isabel Camarinha afirmou ainda que a CGTP vai “intensificar a luta a todos os níveis”, seja nos locais de trabalho, a nível setorial, na Concertação Social “e na rua”.

Conselho Nacional foi eleito com 94,4% dos votos

O Conselho Nacional da CGTP, composto por 147 dirigentes, foi hoje eleito com 596 votos a favor, no final do primeiro dia do XIV congresso da central sindical. Dos 691 delegados ao congresso que podiam votar, exerceram esse direito 662 (95,3%).

Dos votos expressos, 596 foram favoráveis à lista A (94,4%), a única candidata, 25 foram brancos e 10 foram nulos.Dos 147 dirigentes eleitos, 55 integram este órgão pela primeira vez e reforçam a presença das mulheres e dos jovens até aos 35 anos.

Ler mais
Relacionadas

PremiumCGTP vai insistir no aumento dos salários e revisão da lei laboral

Aumento do salário mínimo para 850 euros e generalização do horário de trabalho semanal de 35 horas são prioridades da CGTP no próximo mandato, a par com o combate à precariedade laboral.

PremiumArménio Carlos: “Patrões estão abaixo da média em termos de formação”

Secretário-geral da CGTP, a dias de deixar o cargo, diz que os aumentos propostos pelo Governo aos funcionários públicos “não são admissíveis” e que muitas empresas dependem dos salários baixos.
Recomendadas

Ministra admite que a precariedade na Cultura está “mais visível” mas sem solução “em dois meses”

Segundo a ministra, o Governo está “a trabalhar” e assumiu “o compromisso de, ao longo deste ano, resolver as questões laborais, de carreiras contributivas” ou “de descontos” destes profissionais, entre outras matérias.

Morreu Luís Pimentel, ex-secretário-geral adjunto do PSD

Luís Pedro Pimentel, natural de Alijó, distrito de Vila Real, foi secretário-geral adjunto dos sociais-democratas durante a liderança de Pedro Passos Coelho, quando o secretário-geral era José Matos Rosa, e foi deputado à Assembleia da República, que deixou em 2015.

Ministro do Ambiente congratula-se com abertura das praias mas pede cumprimento das regras

Na cerimónia de abertura da época balnear, que decorreu na Praia da Rocha, em Portimão, João Pedro Matos Fernandes revelou-se orgulhoso “por não haver praias privadas em Portugal”, defendendo que o “acesso ao areal deve ser livre, mas há que garantir as regras impostas este ano”.
Comentários