ISQ apresenta soluções tecnológicas para combater o desperdício alimentar

Uma ferramenta essencial que surgirá do projeto é a plataforma que irá monitorizar e reduzir o desperdício alimentar, através da análise de dados recolhidos ao longo da cadeia agroalimentar, determinando quais as atividades e produtos que conduzem a maior desperdício.

O ISQ – Instituto de Soldadura e Qualidade apresentou esta semmana soluções tecnológicas para combater o desperdício alimentar.

Desta forma, o ISQ participou ontem, dia 1 de outubro, no ‘kickoff’ do projecto BIOMA – Soluções integradas de BIOeconomia para a Mobilização da cadeia Agroalimentar, “que tem como objetivos promover a adoção de soluções tecnológicas na cadeia de valor agroalimentar, reduzir o desperdício alimentar, valorizar resíduos e subprodutos agroalimentares para o desenvolvimento de produtos de base biológica, apoiar as prioridades e aspirações do desenvolvimento sustentável global para 2030 (objetivos de desenvolvimento sustentável – ODS), suportar a estratégia nacional para a bioeconomia e contribuir para a estratégia nacional e europeia de digitalização da indústria”.

No âmbito do BIOMA, “iremos desenvolver ferramentas para avaliar e promover a sustentabilidade e a maturidade bioeconómica da cadeia-agroalimentar, recolhendo informação técnico-económica detalhada dos casos de estudo e classificando os diversos pilares de sustentabilidade, nomeadamente, vertente ambiental, económica, social e de governança”, garante João Ribau, responsável de I&D – Investigação & Desenvolvimento do ISQ.

O mesmo responsável explica que “a maturidade bioeconomica estará focada essencialmente na avaliação da digitalização do setor e potencial implementação de soluções inovadoras, que adicionalmente contemplem as visões de economia circular e simbiose industrial e processual”.

“Uma ferramenta essencial que surgirá do projeto é a plataforma que irá monitorizar e reduzir o desperdício alimentar, através da análise de dados recolhidos ao longo da cadeia agroalimentar, determinando quais as atividades e produtos que conduzem a maior desperdício, mas também identificar metodologias que visem reduzir os desperdícios ou transformá-los em sub-produtos necessários para outros processos”, adianta um comunicado do ISQ.

Para João Ribau, “igualmente importante, será o desenvolvimento de uma solução ‘BIOtrace’ para rastreabilidade remota de produtos ao longo da cadeia alimentar, nomeadamente no seu transporte e conservação, promovendo a manutenção da qualidade dos produtos”.

Por fim, o ISQ irá também dinamizar o conceito ‘BIOecosystem’, nomeadamente com plataformas de ‘Marketplace’ e ‘Test before invest’, “onde será promovida a comunicação entre ‘stakeholders’ ao longo da cadeia de valor, promoção de soluções e novos produtos e delineação de campos de teste bem como demonstração de soluções em ambiente real”.

Os responsáveis do ISQ realçam ainda que, segundo dados da Organização das Nações Unidas Para a Alimentação e a Agricultura (FAO), “todos os anos um terço da produção alimentar é desperdiçada no mundo”.

“Para contrariar este problema mundial, com impactos a vários níveis, surgiu recentemente o ‘Unidos Contra o Desperdício’, um movimento cívico e nacional, congregador e agregador, que une a sociedade num combate ativo e positivo ao desperdício alimentar, reforçando a importância de cada um de nós nesta luta”, relembra o referido comunicado.

O ISQ é uma entidade privada, independente, que entrega valor através de soluções integradas e inovadoras de serviços de engenharia, inspeção, ensaios, testes e capacitação.

Presente em 14 países e com sete escritórios em Portugal, “o ISQ apoia os seus clientes na redução do risco, melhoria do desempenho operacional e aumento de competitividade”.

O ISQ contabiliza já mais de 500 projetos internacionais de Inovação e mais de 17.000 cursos de formação profissional.

O ISQ disponibiliza soluções de serviços para os setores de ‘oil & gas’, energia, aeronáutica e aeroespacial, indústria de processo, saúde, mobilidade e ‘smart cities’, transportes e infraestruturas e agroindústria.

Ler mais
Recomendadas

Rede internacional de cabeleireiros critica promoção de “prestação de serviços de beleza ao domicílio”

A Jean Louis David, impedida de trabalhar devido às proibições decretadas pelo Governo durante o confinamento geral, “não considera aceitável que esta situação possa existir”, referindo-se à publicação do estudo que aborda o aumento da procura por estes serviços fornecidos em domiciliário.

Tecnológica IBM expande serviços de cloud híbrida com banca e saúde na mira

A “IBM Cloud Satellite” pretende permitir aos clientes – altamente regulados e com um grande volume de informação para processar -controlarem o armazenamento das suas informações e de grandes quantidades de dados online.

United Airlines encomenda 25 novos Boeing 737 Max para 2023

Os modelos 737 Max da companhia aérea estiveram sem voar desde março de 2019, depois de dois acidentes na Indonésia e na Etiópia terem causado a morte de 346 pessoas.
Comentários