Israel intensifica tensão militar e prepara ataque terrestre a Gaza

Os militares de Israel estão a elaborar um plano para uma possível operação terrestre em Gaza, enquanto prossegue com uma ofensiva aérea feroz contra o enclave, ao mesmo tempo que o Hamas não para de disparar foguetes contra Israel.

A violência que eclodiu desde o início do Ramadão assumiu proporções de guerra e os distúrbios – que se vão espalhando por toos territórios de Israel e da Palestina – são já considerados o pior confronto árabe-judaico dos últimos anos. Segundo o jornal britânico The Guardian centenas de judeus de extrema-direita tomaram as ruas em todo o país à procura de árabes, multiplicando os ataques racistas. A polícia já teve que intervir repetidas vezes.

Entretanto, o mesmo jornal afirma que os militares israelitas estão a elaborar um plano de ataque terrestre à Faixa de Gaza – se os foguetes dali lançados não pararem. Se o ataque terrestre avançar, o mais provável será a multiplicação incontrolada das mortes – que até este momento estão perto da centena.

Os planos de ataque no solo não foram aprovados, e serão em princípio apresentados esta quinta-feira aos chefes militares, que considerariam se devem submetê-los ao governo de Israel, disse um porta-voz do exército, citado pelo The Guardian.

Os planos para intensificar a operação militar surgiram quando o primeiro-ministro interino de Israel, Benjamin Netanyahu, disse ao seu gabinete que o país havia rejeitado uma proposta de cessar-fogo do Hamas. A oferta de trégua foi feita na passada quarta-feira por via do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, que citou um alto funcionário do Hamas segundo o qual o grupo islâmico estaria pronto para interromper os ataques numa “base mútua”.

Os militares israelitas realizaram centenas de ataques aéreos em Gaza desde a passada segunda-feira, matando quatro comandantes do topo da hierarquia do Hamas e dezenas de operacionais.

Entretanto, as empresas estrangeiras começam a cancelar os voos para os aeroportos israelitas mais expostos ao fogo oriundo de Gaza. A British Airways juntou-se a várias companhias aéreas dos Estados Unidos na suspensão de voos para o aeroporto Ben Gurion, nos arredores de Tel Aviv, ao mesmo tempo que a norte-americana Chevron informou que fechou a plataforma de gás natural Tamar, na costa israelita.

Recomendadas

Banco de Espanha revê em alta previsão de crescimento do país para 6,2% em 2021

A instituição publicou esta segunda-feira o seu relatório trimestral sobre a economia espanhola no qual indica que a melhor evolução da economia está ligada à menor incidência da pandemia de covid-19, ao progresso da vacinação e a uma maior absorção dos fundos europeus.

Quem é Naftali Bennett, o primeiro-ministro que sucede a Benjamin Netanyahu em Israel?

Ao fim de 12 anos no poder, Benjamin Netanyahu sai do centro de decisões em Israel, após o parlamento israelita ter aprovado um Governo de coligação. O novo Governo de Israel vai ser liderado pelo líder da direita radical, Naftali Bennett e pelo líder centrista, Yair Lapid.

Cabo Verde anuncia Orçamento Retificativo e pedido para aumentar défice

“Em vários países do mundo houve suspensão temporária dos limites da dívida e do défice orçamental. Em Cabo Verde, precisamos do mesmo tipo de medidas”, afirmou Ulisses Correia e Silva, ao apresentar na Assembleia Nacional o Programa do Governo para a legislatura (2021/2026).
Comentários