“Isso é racismo, isso é xenofobia”. Cristas explica corte com o PSD em Loures

Líder dos centristas falou pela primeira vez sobre a retirada do apoio do CDS-PP ao candidato do PSD a Loures. Garante que “jamais deixaria que o CDS pudesse ser associado a racismo”.

Assunção Cristas esclareceu esta quinta-feira, e pela primeira vez, o motivo pelo qual o CDS-PP deixou cair o apoio ao candidato social-democrata à Câmara Municipal de Loures, André Ventura, indicando que essa decisão foi baseada nos princípios da democracia cristã e advertindo que o partido “jamais pode ser associado ao racismo e xenofobia”.

“O CDS tem um património longo, ainda ontem [quarta-feira] fizemos 43 anos. Basta olhar para a nossa carta fundadora e de princípios para perceber que tudo o que lá está continua a ser atual: princípios fundados na democracia cristã, no respeito absoluto por todo e qualquer ser humano”, defendeu a líder dos centristas em declarações aos jornalistas esta manhã.

Para Assunção Cristas, é importante que o CDS defenda “uma justa atribuição dos subsídios sociais e uma eficaz fiscalização de eventuais abusos nesses mesmos subsídios sociais” mas realçou que não concorda com o “querer associar práticas de abuso a conjuntos específicos de pessoas”, garantindo que “isso é racismo, isso é xenofobia, e nós não vamos por essa linha”.

Relacionadas

“Ou Passos muda de atitude ou o incitamento ao ódio racial vai ‘pegar de estaca’ em Portugal”

O antigo eurodeputado, Rui Tavares, em seguimento as intervenções de António Costa, também reagiu à polémica entrevista de André Ventura e defende que Passos deveria retirar o apoio do PSD ao candidato.

“O PSD está comigo e as pessoas ainda mais”, realça André Ventura

Os centristas retiraram o apoio ao candidato do PSD à Câmara de Loures. Ao Jornal Económico, André Ventura mostrou-se confiante por contar com os sociais-democratas.

CDS retira apoio a André Ventura em Loures

O CDS-PP retirou o apoio a André Ventura nas eleições para a Câmara de Loures, informou o presidente da distrital lisboeta dos centristas.

Quem é André Ventura, o polémico candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures

É doutorado em Direito Público e co-autor de um livro com a “taróloga” Maya. É professor convidado da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa e declara que as pessoas de etnia cigana “vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado” e “acham que estão acima das regras do Estado de Direito.” As duas faces do candidato autárquico que José Pinto Coelho, líder do PNR, considera ser um dos “seus”.

PSD mantém candidato. André Ventura diz que não é racista mas não retira o que disse

Candidato diz que sempre conviveu “bem com pessoas de várias raças ou etnias”. O PSD, através do líder da concelhia do partido em Loures, Ricardo Andrade, sinalizou satisfação com os esclarecimentos feitos pelo candidato e garantiu que o mesmo continuará na corrida às autárquicas, segundo o Público.
Recomendadas

Preparação das candidaturas dos independentes “está a ser prejudicada” pela lei eleitoral autárquica, diz AMAI

Os independentes preferem sair prejudicados agora enquanto esperam que se altere a lei do que optar “por qualquer outra solução”, explicou o presidente da Associação Nacional dos Movimentos Autárquicos Independentes. Grupo deu até dia 31 de março para que as mudanças sejam feitas, caso contrário vai criar partido.

Lisboa Protege. Autarquia disponibiliza 20 milhões de apoio às empresas a partir de hoje

Esta fase do programa está orçada em 35 milhões de euros, sendo que 20 milhões são para os empresários com quebra de faturação superior a 25% nos três primeiros trimestres do ano passado ou na totalidade dos trimestres.

BE quer acabar “presunção legal” de que trabalhadores aceitam despedimento assim que recebem compensação

O BE entende que, quando um trabalhador é despedido por razões que não são de justa causa, o recebimento da compensação prevista na lei não é suficiente para certificar que esse mesmo trabalhador se resigna ou se abstenha de contestar o despedimento na justiça, e pede que essa presunção legal seja extinta.
Comentários