Itália com 4.259 novos casos e 21 óbitos nas últimas 24 horas

A Itália contabilizou 4.259 novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, uma subida face ao dia anterior, bem como 21 óbitos associados à doença Covid-19, informou esta quarta-feira o Ministério da Saúde italiano.

Itália | Manuel Silvestri/Reuters

Na terça-feira, o país, que já tem mais de 50% da população com a vacinação completa contra a covid-19, divulgou o registo de 3.558 novos contágios.

Os novos contágios pelo coronavírus SARS-CoV-2 estão a aumentar no território italiano e já se encontram em níveis que eram registados em final de maio.

Com estes novos contágios, o país totaliza, até à data, 4.297.337 casos de pessoas que ficaram infetadas com o novo coronavírus, de acordo com o boletim informativo do ministério italiano.

O Instituto Superior de Saúde italiano tem vindo a alertar que a pandemia de covid-19 está a ganhar novamente terreno no país, especialmente junto das pessoas mais jovens.

O número total de mortes atribuídas à doença covid-19 no território italiano desde o início da crise pandémica, em fevereiro de 2020, situa-se agora nos 127.905, segundo a mesma fonte.

Nos hospitais italianos estão internados em enfermarias 1.196 doentes covid-19, mais dois em relação à véspera, e 158 pacientes encontram-se em unidades de cuidados intensivos (UCI), menos sete em comparação ao dia anterior.

A campanha de vacinação em Itália continua e foram administradas, até à data, 62.922.304 doses em todo o país.

Um total de 28.261.081 pessoas já têm o processo de imunização completo contra a doença covid-19, número que representa 52,33% da população do país com mais de 12 anos de idade.

Em Itália, a única medida de prevenção obrigatória que se mantém é o uso de máscara em espaços públicos fechados, mas o Governo já fez saber que não exclui maiores restrições caso a situação epidemiológica do país continue a agravar-se, como, por exemplo, a exigência de um certificado de vacinação para entrar em bares e em locais de diversão, à semelhança do modelo francês.

A região da Sicília (sul de Itália) anunciou, entretanto, que vai pedir um teste negativo à covid-19 aos viajantes procedentes de França, Grécia ou dos Países Baixos, medida que já era solicitada às pessoas que chegavam de Portugal, Espanha ou Malta, além de outros países fora do espaço da União Europeia (UE).

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.119.920 mortos em todo o mundo, entre mais de 191,3 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Recomendadas

Sindicatos reúnem-se com Governo para debater insolvência da Groundforce

A reunião, por videoconferência, deverá contar com a maioria das estruturas sindicais representadas na empresa, conta com a presença do secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Hugo Mendes, e tem como objetivo informar os trabalhadores sobre o processo. 

Ilha de Santo Antão lidera cobertura da vacinação em Cabo Verde

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, e representantes de partidos políticos apelaram na segunda-feira à adesão da população à campanha de vacinação contra a covid-19, sobretudo na ilha de Santiago, onde o processo está mais atrasado.

Jovens saudáveis dos 12 aos 15 anos têm que esperar por ‘task force’ para vacinação

A DGS determina que as crianças com idades entre os 12 e os 15 anos que tenham cancro ativo, diabetes, obesidade, insuficiência renal crónica estão entre as que devem ser vacinadas prioritariamente contra a covid-19.
Comentários