Itália propõe baixar défice público para 2,04% do PIB em 2019

Giuseppe Conte, chefe da coligação populista no poder em Roma, formulou esta proposta durante um encontro na capital belga com o presidente da Comissão europeia, Jean-Claude Juncker.

O governo italiano propôs esta quarta-feira a Bruxelas a redução do seu défice público de 2,4% para 2,04% em 2019, com o objetivo de terminar o contencioso com a União Europeia (UE) e evitar um procedimento de infração.

Giuseppe Conte, chefe da coligação populista no poder em Roma, formulou esta proposta durante um encontro na capital belga com o presidente da Comissão europeia, Jean-Claude Juncker.

“Um trabalho técnico permitiu-nos obter uma margem de negociação porque recuperámos alguns recursos financeiros”, explicou Conte.

“Estes recursos financeiros vão agora ser utilizados por nós nesta negociação com a Comissão. De um resultado final de 2,4%, pudemos descer para 2,04%”, acrescentou.

Um porta-voz da Comissão Europeia registou hoje “bons progressos” na sequência desta reunião, sem fornecer mais detalhes.

“A Comissão Europeia vai agora avaliar as propostas recebidas esta tarde. Os trabalhos vão prosseguir nos próximos dias”, acrescentou.

Bruxelas rejeitou em 23 de outubro o projeto de orçamento italiano, ao considerar que desrespeitava os parâmetros europeus e era baseado em projeções demasiado otimistas, e admitindo um procedimento por “défice excessivo”, que pode implicar sanções.

Após um período de inflexibilidade, a coligação governamental italiana, que integra a Liga (extrema-direita) e o Movimento 5 estrelas (M5S, antissistema) optou por iniciar discussões com Bruxelas após um primeiro encontro em 24 de novembro entre Conte e Juncker.

Ler mais
Recomendadas

easyJet estabelece acordo de ‘code share’ com Cathay Pacific

Com o acordo hoje, dia 21 de janeiro, anunciado, a partir das próximas semanas, os clientes da easyJet poderão voar para Hong Kong a partir do aeroporto de Gatwick (Londres).

Governo já sabia de irregularidades na CGD? Se sim, “é grave”, aponta Rui Rio

“Eu não quero acreditar que, no quadro de todos aqueles valores que ali estão, possa ter sido tudo concedido, todo aquele crédito possa ter sido concedido de uma forma clara e limpa, que não mereça uma investigação”, disse Rui Rio aos jornalistas, na sede nacional do partido, em Lisboa.

Custa 336 euros e garante alimentação para um mês. Esta é a ‘Brexit box’

Concebido e comercializado pela empresa Emergency Food Storage, o pacote inclui 60 receitas que podem ser consumidas nos próximos 25 anos
Comentários