Itália propõe baixar défice público para 2,04% do PIB em 2019

Giuseppe Conte, chefe da coligação populista no poder em Roma, formulou esta proposta durante um encontro na capital belga com o presidente da Comissão europeia, Jean-Claude Juncker.

O governo italiano propôs esta quarta-feira a Bruxelas a redução do seu défice público de 2,4% para 2,04% em 2019, com o objetivo de terminar o contencioso com a União Europeia (UE) e evitar um procedimento de infração.

Giuseppe Conte, chefe da coligação populista no poder em Roma, formulou esta proposta durante um encontro na capital belga com o presidente da Comissão europeia, Jean-Claude Juncker.

“Um trabalho técnico permitiu-nos obter uma margem de negociação porque recuperámos alguns recursos financeiros”, explicou Conte.

“Estes recursos financeiros vão agora ser utilizados por nós nesta negociação com a Comissão. De um resultado final de 2,4%, pudemos descer para 2,04%”, acrescentou.

Um porta-voz da Comissão Europeia registou hoje “bons progressos” na sequência desta reunião, sem fornecer mais detalhes.

“A Comissão Europeia vai agora avaliar as propostas recebidas esta tarde. Os trabalhos vão prosseguir nos próximos dias”, acrescentou.

Bruxelas rejeitou em 23 de outubro o projeto de orçamento italiano, ao considerar que desrespeitava os parâmetros europeus e era baseado em projeções demasiado otimistas, e admitindo um procedimento por “défice excessivo”, que pode implicar sanções.

Após um período de inflexibilidade, a coligação governamental italiana, que integra a Liga (extrema-direita) e o Movimento 5 estrelas (M5S, antissistema) optou por iniciar discussões com Bruxelas após um primeiro encontro em 24 de novembro entre Conte e Juncker.

Ler mais
Recomendadas

Costa sobre transportes públicos: “Estamos a vir do fundo dos infernos”

“Nós estamos a vir do fundo dos infernos relativamente ao sistema de transportes públicos”, disse o chefe de Governo durante o debate quinzenal, em resposta ao Partido Ecologista “Os Verdes”.

Miguel Geraldes vai ser diretor-geral da Unitel

Miguel Geraldes vem da representação na África do Sul da empresa chinesa Huawei, tendo também ocupado, durante nove anos, a posição de Managing Director da MTC Namibia, a operadora telecomunicações namibiana.

Isabel dos Santos reeleita para conselho de administração da angolana Unitel

No comunicado é indicado que o novo conselho de administração, que integra mais quatro nomes – Amílcar Safeca, Miguel Geraldes, João Boa Quipipa e Luiz Rosa -, entrará em funções até 06 de maio, com o presidente a ser eleito na primeira reunião, nos termos previstos da lei.
Comentários