PremiumJack Welch: ‘Gestor do século’ transformou a General Electric numa gigante

Inspirou gerações de gestores com lições de liderança, multiplicou o valor da empresa a que dedicou a vida, e chegou a ser comparado à bomba de neutrões devido à capacidade de eliminar pessoas e deixar os edifícios. Jack Welch morreu nesta segunda-feira, aos 84 anos.

Entre 1981 e 2001, o valor da multinacional General Electric (GE) aumentou 4.000% e esse resultado ficou para sempre associado a um nome: Jack Welch, o mítico gestor que morreu nesta segunda-feira, aos 84 anos.

Quando deixou o cargo, pouco antes do 11 de setembro de 2001, recebeu uma indemnização de 417 milhões de dólares – recorde mundial à época –, afastando-se de um grupo empresarial que na altura estava avaliado em 410 mil milhões de dólares (só ultrapassada pela Microsoft), mas que atualmente não atinge sequer 100 mil milhões.

Jack Welch, que ficou conhecido como o ‘gestor do século’ – do XX, bem entendido, título que lhe foi concedido pela revista “Fortune” – nasceu em Peabody, no estado do Massachusetts, e era filho de uma dona de casa e de um maquinista da Boston & Maine Railroad. Os seus avós, tanto paternos como maternos, eram irlandeses, que foram em busca do sonho americano.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumRestauração: ‘Chefs’ contra a pandemia

Apesar da crise provocada pela Covid-19 e das incertezas sobre o futuro, o setor da restauração de autor está a viver um momento dinâmico, em Lisboa, Porto e no interior. Inaugurações, reaberturas, novas cartas, novas parcerias, novos serviços são os trunfos para angariar mais clientes. Na maioria nacionais, porque ainda há muitos aviões em terra e muitos turistas em casa.

PremiumRuth Bader Ginsburg: A resistente e combativa liberal do Supremo

Aos 87 anos, a juíza do Supremo Tribunal dos EUA foi hospitalizada pela segunda vez este ano, primeiro para tratar um teimoso (terceiro) cancro e agora para uma pequena cirurgia. Com os liberais em minoria no tribunal (4-5), e em ano de eleições, Ginsburg recusa-se a deixar o cargo enquanto estiver apta. E, por ora, ainda está, garante.

PremiumUm quinto dos cargos de administração nas cotadas são em acumulação

28 administradores acumulam cargos em várias empresas cotadas na bolsa de Lisboa. A acumulação é permitida pelas regras de mercado e aponta para a transversalidade de alguns grupos económicos em Portugal, que são acionistas em várias empresas. Associação de pequenos acionistas defende que administradores executivos não devem acumular cargos fora do seu grupo empresarial.
Comentários