Jerónimo de Sousa afasta manutenção “ad aeternum” do “lay-off” simplificado que torne “banal aquilo que é inaceitável”

Delegação do PCP foi a primeira a ser recebida na residência oficial do primeiro-ministro no âmbito de uma ronda de contactos com os partidos para a elaboração do Programa de Estabilização Económica e Social e do orçamento suplementar que o acompanhará.

Cristina Bernardo

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afastou no final da reunião com o Governo que arrancou a ronda de audições aos partidos para a elaboração do Programa de Estabilização Económica e Social que implicará a aprovação de um orçamento suplementar, que o lay-off simplificado seja “mantido ad aeternum“, pois seria “tornar banal aquilo que é inaceitável” permitir que os trabalhadores continuem a ver ao final de cada mês um corte num terço dos seus salários.

A delegação comunista pediu do Governo medidas que assegurem que “ninguém fique para trás sem qualquer rendimento e salário”, incluindo algumas que “resolvam problemas dramáticos e candentes” em centenas de milhares de micro, pequenas e médias empresas, e um reforço do Serviço Nacional de Saúde que dê resposta à pandemia de Covid-19.

Sem se comprometer com qualquer orientação de voto para o orçamento suplementar, que será apresentado em junho, Jerónimo de Sousa disse que na questão do lay-off, cujo prolongamento para lá de 30 de junho já foi sugerido, entre outros, pelo Presidente da República, “não houve certezas”. “Certamente daremos a nossa contribuição para resolver problemas”, garantiu o líder comunista, que se disse “empenhado na defesa do nosso aparelho produtivo” e instou o Governo a “fazer pela vida” e conseguir instrumentos financeiros junto da União Europeia para relançar a economia e criar emprego desde que não impliquem “imposições que não resultam”.

O PCP foi recebido na residência oficial do primeiro-ministro por António Costa e ainda pelos ministros de Estado Mário Centeno (Finanças), Pedro Siza Vieira (Economia) e Mariana Vieira da Silva (Presidência) e pelo secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro. Ainda durante esta segunda-feira serão recebidos o PEV, o Bloco de Esquerda e o PAN, seguindo-se na terça-feira os restantes partidos com representação parlamentar.

 

Recomendadas

Portugal quer “reforçar cooperação” com Guiné-Bissau na saúde, educação e justiça

António Costa afirma ter sublinhado o seu “empenho pessoal no relacionamento fraterno entre Portugal e a Guiné-Bissau”, que “deve estar à altura dos laços históricos” que unem os dois povos.

Governo revela plano de contingência para evitar colapso do SNS no outono

O gabinete de Marta Temido anunciou algumas medidas que deverão evitar o colapso do SNS numa altura em que a gripe sazonal marca o regresso. O Ministério da Saúde vai antecipar já para o início de outubro a vacinação contra a gripe sazonal e reforçar cuidados intensivos e laboratórios.

PremiumNovo Banco: Bloco de Esquerda considera “opaco” acordo com Bruxelas

BE já pediu documentos sobre cláusula em que Estado aceitou ser responsável por tudo aquilo que correr mal associado ao Novo Banco.
Comentários