Jerónimo de Sousa afirma que caso dos manifestantes russos em Lisboa, a confirmar-se, é “grave”

O secretário-geral do PCP afirmou esta quinta-feira, em Santarém, que, a confirmar-se, “tem gravidade” a prestação, pela Câmara de Lisboa, de informação à Rússia sobre cidadãos daquele país que organizaram uma manifestação na capital portuguesa.

Flickr/Festa do Avante

​”Com toda a prudência que resulta do desconhecimento dos factos, a confirmar-se, creio que tem gravidade e que nesse sentido se coloca a necessidade do apuramento de responsabilidades dos factos e depois, naturalmente, que se decida em conformidade com essa investigação tendo em conta a sensibilidade e a gravidade da questão que está colocada”, declarou Jerónimo de Sousa.

“A ter sido assim, naturalmente é uma medida grave”, declarou Jerónimo de Sousa.

O secretário-geral do PCP, que hoje visitou a Feira Nacional da Agricultura, que decorre até domingo no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), em Santarém, recusou “fazer juízos de valor apressados” antes do “apuramento da verdade”, de ser apresentada a “argumentação por parte dos responsáveis da Câmara Municipal de Lisboa”.

“Nestas matérias tão sensíveis, mais vale estarmos sustentados nesse apuramento da verdade do que em tal ou tal sentimento”, declarou.

As publicações “Expresso” e o “Observador” divulgaram, na quarta-feira, que a Câmara de Lisboa fez chegar às autoridades russas os nomes, moradas e contactos de três manifestantes russos que, em janeiro, participaram num protesto, em frente à embaixada russa em Lisboa, pela libertação de Alexey Navalny, opositor daquele Governo.

Relacionadas

CML confirma envio de dados dos ativistas, mas rejeita “cumplicidade com o regime russo”

Em comunicado, a autarquia informa que os dados dos três organizadores da “Concentração em Solidariedade com Alexei Navalny e apelo à sua libertação imediata” foram enviados para a embaixada da Rússia.

Câmara de Lisboa entregou a Moscovo dados pessoais de três ativistas russos em Portugal

Os dados terão sido obtidos na sequência de um protesto frente à embaixada da Rússia em Lisboa, a 23 de janeiro deste ano, evento onde é necessário enviar para a autarquia os dados pessoais de pelo menos três dos organizadores.

Amnistia Internacional considera gravíssima a partilha de dados de ativistas russos pela CML

A Amnistia Internacional pediu esclarecimentos urgentes à Câmara de Lisboa sobre a partilha de dados de ativistas russos em Portugal com as autoridades russas, a propósito de uma concentração na cidade, considerando o caso gravíssimo.
Recomendadas

Metro do Porto sem serviços mínimos na quinta-feira devido à greve dos maquinistas

A Metro do Porto anunciou hoje que devido à greve convocada pelo Sindicato dos Maquinistas (SMAQ), a circulação do Metro estará sem serviços mínimos assegurados na quinta-feira e que quarta-feira e sexta-feira encerrará a circulação mais cedo.

Aprovado apoio de 2,13 milhões para regresso dos comerciantes ao Bolhão

A Câmara do Porto aprovou esta segunda-feira a atribuição de um apoio no montante de 2,13 milhões euros aos comerciantes históricos do Mercado Bolhão para obras de adaptação dos espaços interiores e exteriores do edifício.

Comissão Europeia e autoridades nacionais de defesa do consumidor instam Google a ser mais transparente

De acordo com esta nota informativa, “os consumidores precisam de saber como são classificados os resultados das suas pesquisas no motor de busca da Google e se os pagamentos podem influenciar a classificação”.
Comentários