Jerónimo diz que CDU ambiciona mais votos e mais mandatos nas próximas regionais nos Açores

O secretário-geral do PCP declarou esta sexta-feira que a ambição da CDU (que junta comunistas ao partido Os Verdes) para as regionais dos Açores deste mês é aumentar o número de votos e mandatos no hemiciclo regional.

Ponta Delgada, Açores – 125 euros

“Pelo valor das propostas, pela nossa intervenção passada e recente, podemos dizer que o resultado que ambicionamos é reforçar em termos de votos e mandatos”, afirmou Jerónimo de Sousa, falando na noite de sexta-feira no Telejornal da RTP/Açores.

A CDU tem na atual legislatura um único deputado, João Paulo Corvelo, eleito pela ilha das Flores e que não se recandidata este ano. Ainda assim, está, segundo Jerónimo, “envolvidíssimo na campanha”. O líder comunista estará até domingo nos Açores, passando por São Miguel, Terceira e Faial.

Acerca das preocupações referentes ao arquipélago, o líder do PCP assinalou a “potencialidade” dos Açores em áreas como o mar, agricultura ou turismo, não deixando de questionar: “Com tanta potencialidade, como é que possível que no plano social existam situações dramáticas de muitos açorianos que não saibam o que fazer da vida?”

As próximas eleições para o parlamento açoriano decorrem em 25 de outubro.

Nas anteriores legislativas açorianas, em 2016, o PS venceu com 46,4% dos votos, conquistando 30 mandatos no parlamento regional, contra 30,89% do segundo partido mais votado, o PSD, com 19 mandatos, e 7,1% do CDS-PP (quatro mandatos).

O BE, com 3,6%, obteve dois mandatos. A coligação PCP/PEV, com 2,6%,  e o PPM, com 0,93% dos votos expressos conseguiram eleger um deputado cada.

O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.

Ler mais
Recomendadas

PremiumBruxelas recusa-se a deixar cair caso do procurador europeu

Ministra da Justiça vai ser ouvida no Parlamento Europeu a 4 de fevereiro. Eurodeputados querem novas explicações e contam com apoio da Provedoria.

Ana Gomes encerra campanha com apelo ao voto: “Estas são eleições decisivas para a democracia”

A candidata Ana Gomes defende que participação nas eleições, marcadas para dia 24, é essencial para “reforçar a democracia”, que diz estar “sob ataque”, e “barrar os centrões de interesses” que têm prejudicado o desenvolvimento do país.

Pedro Nuno Santos agradece a Ana Gomes por não deixar socialistas “sozinhos” nas presidenciais

O governante apelou ao voto em Ana Gomes e sublinhou que a ex-diplomata é a única que defende o “socialismo democrático” e com a coragem necessária para “enfrentar quem sempre fez e desfez o país”.
Comentários