JPP defende baixa do IVA na restauração para a taxa mais reduzida

Para o partido esta descida ajudava na liquidez e permitiria desafogar a carga fiscal das empresas.

O JPP defendeu a baixa do IVA na restauração, durante uma atividade política realizada esta segunda-feira. A proposta do partido que deverá ser discutida na Assembleia da Madeira quer reduzir a taxa do IVA da restauração para a taxa mais reduzida.

O líder parlamentar do JPP, Élvio Sousa, diz que a descida do IVA, na restauração vai ajudar na liquidez das empresas, mas alerta que a descida deste impostos não implica que exista redução do preço.

“Durante o período da troika, o setor da restauração e similares suportou o não aumento dos preços com o agravamento do IVA para a taxa máxima no setor”, disse o deputado do JPP.

O deputado do JPP sublinha que esta medida vai “desafogar a carga fiscal das empresas”, acrescentando que as últimas medidas de apoio financeiro do Governo “ao setor da restauração e dos táxis, não pode deixar as pequenas empresas de parte”.

Élvio Sousa diz que “as microempresas representam mais de 95% do setor empresarial da Região, até 10 funcionários, mas depois há pequenos empresários, com mais funcionários, que também precisam um apoio e de uma atenção por parte do Governo Regional”.

O deputado do JPP pede ao Governo Regional que altere a medida que proíbe a entrega de comida confecionada ao domicilio, nos fins-de-semana. “Não se compreende esta diferença com os restantes dias da semana, ainda para mais neste momento fundamental de apoio aos profissionais da restauração”, vinca.

Élvio Sousa diz ainda que a baixa do IVA, defendida pelo JPP, vai “no encalço, não só da ACIF como também, da Ordem dos Economistas, da Associação de Industriais da Restauração e similares”, e permite a “redução da carga fiscal aos empresários do setor da restauração que, neste momento, passam sérias dificuldades”.

Ler mais
Recomendadas

Capitania do Funchal cancela avisos de mau tempo para mar da Madeira

Embora já não se registem as condições marítimas adversas, a capitania “recomenda aos proprietários ou armadores das embarcações que tomem as devidas precauções no assegurar das respetivas condições de navegabilidade”.

Funchal investe 380 mil euros em rede de água e saneamento básico no Bairro dos Moinhos

Serão substituídos cerca de 1600 metros de redes de conduta de água potável e cerca de 1400 metros de redes de saneamento básico. Além disso vai existir uma nova infraestrutura de redes de águas pluviais, uma nova rede de combate a incêndios, com a instalação de 9 marcos de incêndio de alto débito e duas bocas de incêndio.

Madeira quer estar incluída no Banco de Fomento até final do mês

O vice-presidente do executivo madeirense considerou que “se há uma ajuda comunitária à constituição de um banco de fomento para servir a nível nacional, não faz qualquer sentido as regiões não estarem lá representadas”.
Comentários