Juntar vários créditos num só: solução para cortar na prestação?

Basta existir mais do que um empréstimo para o orçamento familiar poder ficar desequilibrado. Uma das soluções, em caso de endividamento, poderá passar por consolidar todas as dívidas.

Quando temos vários créditos e diferentes prestações ao final do mês, poderá ser difícil de gerir o orçamento familiar. No entanto, juntar todos os créditos num só, recorrendo ao crédito consolidado, poderá ajudar a beneficiar de uma prestação mensal mais baixa durante um período de reembolso prolongado. Ao simular crédito consolidado pode perceber que bancos oferecem esta solução e que taxas praticam.

O crédito consolidado é um tipo de empréstimo pessoal que permite agregar várias prestações mensais numa só. Ao juntar as mensalidades, o crédito consolidado permite-lhe ainda uma poupança significativa na mensalidade conjunta, podendo poupar até 60% na prestação dos empréstimos que entretanto foi acumulando.

Além disso, pode obter um financiamento extra com melhores condições às dos empréstimos que já contraiu.

Evite o sobreendividamento e melhore a gestão do orçamento familiar

As vantagens deste tipo de crédito são diversas. Por um lado, irá evitar o sobreendividamento e permitirá uma melhor gestão do seu orçamento familiar, uma vez que passará a ter todos os seus empréstimos num só banco. Além do prazo de pagamento se alargar, poderá também pagar uma taxa de juro mais baixa.

Ao proceder à consolidação dos créditos, reduzirá ainda os custos administrativos. Se antes teria de pagar várias comissões para manter as diversas contas em diferentes bancos, ao consolidar os seus empréstimos passa apenas a ter de pagar os custos de manutenção de uma só conta.

Com o crédito consolidado poderá ainda prevenir uma “mancha negra” no seu historial de crédito do Banco de Portugal. Todas as situações de crédito dos clientes das instituições bancárias estão agregadas numa base de dados – a Central de Responsabilidades de Crédito – que é gerida pelo Banco de Portugal. Recorrendo a um simulador de crédito consolidado pode ter uma ideia de quanto ficará a pagar se recorrer a uma solução deste género.

Se optar por um crédito consolidado poderá evitar, no pior dos cenários, o incumprimento do pagamento das dívidas. No entanto, caso já se tenha atrasado no pagamento de algumas prestações, saiba aqui o que pode fazer.

Como escolher o melhor crédito consolidado?

Na hora de decidir qual o crédito consolidado que vai adquirir, importa, antes de mais, fazer uma simulação do maior número de propostas possível que são oferecidas pelas instituições financeiras.

Outro ponto a considerar será perceber se a instituição inclui ou não os custos iniciais do crédito no montante financiado, já que poderá ter de despender de algum capital para os encargos associados à contratualização de um empréstimo consolidado.

Crédito Consolidado: consolidação com ou sem hipoteca

Existem duas modalidades neste tipo de empréstimo: um crédito consolidado hipotecário e um crédito consolidado sem hipoteca.

A diferença entre elas é que na primeira terá de dar a sua habitação como garantia do pagamento do empréstimo, podendo com isto beneficiar de um prazo de reembolso mais longo e com taxas de juro idênticas às do crédito habitação.Ao optar por esta solução terá de realizar uma segunda hipoteca do seu imóvel, pois já terá realizado a primeira na instituição onde adquiriu o crédito para comprar casa. Caso não tenha nenhum empréstimo à habitação, poderá dar a casa onde reside como garantia bancária para o cumprimento do crédito consolidado.

Se preferir adquirir um crédito consolidado sem hipoteca, não terá de apresentar nenhuma garantia à empresa credora. Este tipo de empréstimo não lhe permite uma redução substancial das prestações mensais nem os prazos serão tão extensos como à da primeira modalidade, uma vez que não é dada qualquer garantia do pagamento desse empréstimo.

É importante que tenha em atenção que o crédito consolidado com garantia hipotecária tem custos iniciais mais elevados do que um empréstimo sem essa garantia, uma vez que implica um conjunto de comissões acrescidas (nomeadamente com a escritura e a avaliação do imóvel), o que poderá não ser vantajoso em todos os casos.

Regra geral, recomenda-se este tipo de empréstimo para situações em que os prazos alargados e valores da consolidação elevados. No caso de os prazos e valores da consolidação não serem avultados, poderá ser mais benéfico optar por um crédito consolidado sem garantia de hipoteca.

Mas antes de tomar a decisão de contrair um crédito consolidado deverá sempre analisar a sua situação financeira para compreender se esta solução será a mais benéfica para as suas finanças pessoais. Ou, ao invés, se fará mais sentido, numa primeira fase, renegociar as condições dos seus créditos.

Ler mais
Relacionadas

Como fazer um pedido de crédito corretamente?

Com tantos requisitos, burocracias e papelada, por vezes é difícil saber como fazer um pedido de crédito corretamente, tornando-se num processo moroso e complicado. Para o ajudar a tornar o seu pedido de crédito mais simples e rápido, bem como para que seja aprovado sem problemas, explicamos ao pormenor como proceder.

É um cliente de risco para o seu banco? Faça aqui a simulação

Já se questionou porque é que as instituições financeiras lhe pedem comprovativos de IRS e recibos de vencimento quando solicita um financiamento? A verdade é que é através destes documentos que os bancos conseguem calcular a sua taxa de esforço e, assim, decidir se concedem, ou não, o crédito em questão.

Tem prestações em atraso? Saiba o que deve fazer

Caso já se encontre com prestações em atraso no seu banco, não desespere. Existem também soluções para conseguir reequilibrar as suas finanças pessoais.
Recomendadas

Sabe se pode ter direito à pensão de invalidez?

Sabia que se apresentar incapacidade permanente para o trabalho pode usufruir de um apoio pago pela Segurança Social? Trata-se da pensão de invalidez, que pode ser relativa ou absoluta, consoante o grau de incapacidade que tiver. Descubra, neste artigo, se tem direito e como obter.

Especial Heranças: Herdeiros são obrigados a pagar dívidas?

Sabe que, para ficar com os seus bens, os seus familiares terão de pagar mais de 400 euros só em papelada obrigatória? Ou quantos passos são necessários até a herança ser do herdeiro? E se a herança contiver uma dívida? Neste artigo vai ficar a conhecer quais os gastos que as famílias têm e algumas dicas para evitá-los.

Especial Heranças: Qual a diferença entre renúncia e repúdio?

Existem duas formas possíveis através das quais pode não aceitar uma herança: através de renúncia ou por repúdio. Mas sabe quais as diferenças entre estas duas formas de rejeição? Neste artigo explicamos-lhe em que consiste a renúncia de herança e o repúdio e o que difere entre ambos.
Comentários