La Palma regista sismo de 4,6, a maior magnitude desde o início da erupção

Várias horas depois, às 06h07, houve outro sismo com uma magnitude de 4,5 na mesma área e profundidade.

AFP

Um total de 36 sismos foram registados na ilha de La Palma, nas Ilhas Canárias, desde a noite passada, um deles registado em Mazo com 4,6, o de maior magnitude desde que a erupção do vulcão, que começou há quase um mês.

De acordo com informações do Instituto Geográfico Nacional espanhol (IGN), este sismo de magnitude 4,6 foi registado a uma profundidade de 37 quilómetros às 04h41 (a mesma hora em Lisboa).

Várias horas depois, às 06h07, houve outro sismo com uma magnitude de 4,5 na mesma área e profundidade.

Os restantes sismos oscilaram entre 3,1 e 2,3 graus de magnitude.

Segundo o IGN, em Mazo foram registados 14 movimentos e em Fuencaliente 22.

Dois sismos foram localizados em Tenerife, um com magnitude um, em Santiago del Teide e a uma profundidade de cinco quilómetros, e outro em Guía de Isora de 1,7 a uma profundidade de quatro quilómetros.

O vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção a 19 de setembro, obrigando à retirada de milhares de pessoas das zonas afetadas.

A atividade sísmica aumentou e têm sido registados dezenas de abalos em La Palma.

A ilha de La Palma, que tem cerca de 85 mil habitantes, vive atualmente a terceira erupção vulcânica num século, após a do vulcão San Juan em 1949 e a do Teneguía em 1971.

Recomendadas

Covid-19: Irlanda encerra discotecas e anuncia novas restrições para fazer face à variante Ómicrom

O Governo irlandês anunciou esta sexta-feira novas restrições para conter a disseminação da nova variante Ómicron da covid-19, que incluem o encerramento de discotecas ou o distanciamento social em alguns locais.

Secretas dos Estados Unidos esperam invasão russa da Ucrânia em 2022

As tensões começaram a crescer nas últimas semanas, perante o rumor de um novo ataque contra a Ucrânia pela Rússia, acusada de ter concentrado cerca de 94 mil soldados na fronteira.

Portugal pode esperar “política de continuidade” do novo ministro das Finanças da Alemanha, diz analista germânico

O politólogo Benjamin Höhne acredita que as políticas seguidas pelo futuro ministro das Finanças alemão, o liberal Christian Lindner (na foto), favorecerão a “continuidade”, mais do que mudança, em relação aos países do sul da Europa como Portugal.
Comentários