Lacerda Sales emocionado sobre as zero mortes nas últimas 24 horas. “É um motivo de grande satisfação”

O Secretário de Estado da Saúde pediu na habitual na conferência de imprensa que os portugueses façam um esforço individual e coletivo para que durante muitos mais dias possamos ter mais zero óbitos.

Lusa

A ausência de mortes em Portugal nas últimas 24 horas pelo novo coronavírus deixou emocionado António Lacerda Sales. Durante a conferência de imprensa da Direção Geral de Saúde, o Secretário Geral da Saúde, referiu que esta notícia “é um motivo de grande satisfação”, dado que “tem sido muito difícil nestes últimos tempos e estamos muito felizes em que isto tenha acontecido”.

No entanto, Lacerda Sales salientou que estes números continuam a ser analisados sempre com a maior cautela, sem euforias desmedidas quando a situação aparenta estar mais controlada, nem negativismos exacerbados quando as coisas não correm como gostaríamos”.

Como tal, o responsável do Governo olha com o mesmo estado de espírito e humildade e com a determinação de sempre para a situação epidemiológica do país.

O Secretário Geral da Saúde explicou que a diminuição das infeções registadas nos últimos dias não está relacionada com a redução da testagem. “Na semana que findou ontem, Portugal fez em média mais de 13 mil testes por dia. Não há qualquer orientação para testar menos, até porque como todos sabemos a realização de testes a contatos de casos confirmados da Covid-19 sempre dependeu e continua a depender da estratificação do risco efetuada pelas autoridades de saúde”.

Numa altura em que muitos portugueses estão a gozar o período de férias, Lacerda Sales, aproveitou para deixar um apelo individual e coletivo aos portugueses para que durante muitos mais dias se possam registar zero mortes em Portugal.

“Não se podem esquecer de não relaxar as regras de etiqueta respiratória e distanciamento social que os novos tempos impõe. O nosso sucesso coletivo continuam a depender das ações individuais de cada um. Em família, no trabalho, na praia e noutros locais públicos”, frisou.

Sobre o número médio de casos secundários que resultam de um caso infetado, medido em função do tempo, designado como Rt, é agora de 0,93 a nível nacional na região de Lisboa e Vale do Tejo situa-se nos 0,88, na região Norte 1,07, na zona Centro 0,92, no Alentejo 1,13 e no Algarve 1,02.

Ler mais
Relacionadas

Portugal sem mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas. Registam-se 106 casos

Região de Lisboa e Vale do Tejo regista o número mais elevado de infeções ao dia de hoje, tendo confirmado mais 66 casos em relação aos dados da véspera. O número de casos recuperados em Portugal aumentou para 37.111.

Aumento de número de pessoas em vigilância é bom sinal, garante novo subdiretor da DGS

“Aumentou o número de pessoas em vigilância. Se tivermos um caso, a probabilidade desse caso ter tido contacto com outras pessoas é substancialmente maior do que acontecia em período de confinamento”, salientou Rui Portugal.
Recomendadas

Das telecomunicações aos créditos: Saiba como pode poupar dinheiro

Nos dias que corre é fundamental atacar todas as fontes de desperdício. Usar o seu dinheiro com critério e ponderação. Aproveite para cortar as suas despesas, passo fundamental para aumentar as suas poupanças e a sua segurança financeira.

PremiumEUA: Entre o fim da era Trump e a repetição da surpresa

Todas as sondagens indicam que o democrata Joe Biden terá mais votos na terça-feira, mas o atual presidente conta repetir a vantagem no colégio eleitoral. Garantida a contestação a qualquer resultado, teme-se o caos.

O que fazer às minhas poupanças em tempo de crise

O pânico afetou os mercados com quedas generalizadas nas várias classes de ativos. É possível que as suas poupanças tenham também sofrido uma grande desvalorização. Neste contexto é natural que se pergunte o que fazer às suas poupanças. Neste artigo vamos deixar-lhe alguns pontos para a sua reflexão.
Comentários