Lacerda Sales: Pedido de ajuda internacional “ainda não foi formalizado completamente”

Lacerda Sales relembra que existem mecanismos de cooperação europeia prontos para serem ativados como se assistiu em vários países na primeira vaga, mas que, para já, “enquanto formos tendo respostas e capacidade de responder às necessidades dos portugueses, vamos respondendo”.

Lusa

Na sequência da notícia do JE que dava conta que Portugal estava a equacionar uma transferência de doentes para Espanha, nomeadamente para Sevilha, Salamanca, Badajoz e Vigo, o Secretário de Estado Adjunto da Saúde revelou que “está a ser equacionado” o recurso a um pedido de ajuda internacional para o combate à Covid-19, mas que “ainda não foi formalizado completamente”.

Estes mecanismos de cooperação internacional, nomeadamente a nível da Comissão Europeia, “são ativados quando é necessário ativar esses mecanismos”, disse Lacerda Sales, dando os exemplos de França, Espanha e Itália que, na primeira vaga, viram-se forçados a transferir doentes, requisitar material e até recrutar recursos humanos.

“Essas necessidades surgem sempre, e a área dos recursos humanos é uma sempre muito difícil para nós”, admitiu, acrescentando ser natural que como estados-membros possa haver uma cooperação europeia. “Há capacidade de ajuda, nesta altura, haverá com certeza por parte de outros estados, como haverá noutras fases em que nós estejamos mais disponíveis, da nossa parte. Esses mecanismos são bidirecionais”, sublinhou.

Pressionado pelos jornalistas a confirmar se o processo já foi iniciado, Sales afirmou que o pedido ainda não está “formalizado completamente”, mas confirmou “que está a ser equacionado no âmbito dos sistemas de cooperação europeus, também ele de acordo com a proporcionalidade”.

Mas para já, “enquanto formos tendo respostas e capacidade de responder às necessidades dos portugueses, vamos respondendo”, disse. “Obviamente que equacionamos cenários e planeamos sempre a possibilidade de acionar mecanismos de cooperação europeu.”

Relacionadas

Lacerda Sales garante que “não houve falta de oxigénio” no Amadora-Sintra e que transferência de doentes foi “preventiva”

Numa altura em que o número de internados em enfermaria e UCIs continua a aumentar, Lacerda Sales considerou que o Governo tem ” a humildade de reconhecer as dificuldades” mas ” fará sempre os esforço para que estas situações não se voltem a repetir”.
Recomendadas

Governo espera reabrir turismo em maio

“Por enquanto, as viagens não essenciais precisam de ser restritas, mas acreditamos que Portugal vai poder permitir viagens sem restrições em breve, não só para pessoas vacinadas, mas também para pessoas imunes ou que testem negativo”, afirmou Rita Marques à BBC.

Portugal com um milhão de vacinas administradas contra a Covid-19

Desde o inicio do processo de vacinação, a 27 de dezembro, Portugal já administrou um milhão de doses da vacina contra a Covid-19.

Portugal vai entregar 60 mil testes à Covid-19 a Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe

As três nações dos PALOP recebem o material de diagnóstico e rastreio ao coronavírus entre esta sexta-feira e sábado.
Comentários