Lady Gaga e Jennifer Lopez entre os artistas que vão estar na tomada de posse de Joe Biden

A equipa do presidente eleito apontou que as cantoras representam a “visão inabalável de Biden e da vice-presidente eleita Kamala Harris de um novo capítulo na história americana”.

Lady Gaga e Jennifer Lopez são apenas duas das celebridades que vão atuar na tomada de posse de Joe Biden enquanto presidente dos EUA esta quarta-feira, 20 de janeiro.

Segundo o “The Guardian”, Foo Fighters, John Legend e Bruce Springsteen também vão marcar o evento, mas de forma remota. As atrizes Eva Longoria e Kerry Washington vão apresentar segmentos do evento.

Lady Gaga vai cantar o hino nacional americano enquanto o presidente eleito e vice-presidente eleita, tomam posse na Frente Oeste do Capitólio dos Estados Unidos. Jennifer Lopez também vai atuar durante o evento. Em comunicado a equipa de Joe Biden explicou que tanto Lady Gaga como Jennifer Lopez “representam uma imagem clara da grande diversidade da nação”.

As cantoras representam a “visão inabalável de Biden e da vice-presidente eleita Kamala Harris de um novo capítulo na história americana, no qual somos uma América unida para superar as profundas divisões e desafios enfrentados pelo povo, unificar o país e restaurar a alma de nossa nação”, apontou a equipa do presidente eleito.

No momento em que a equipa de Biden anunciou a presença das artistas, foi citado a defesa de Lady Gaga dos direitos LGBTQ e questões de saúde, e o trabalho de Lopez aumentando a conscientização sobre o impacto desproporcional do novo coronavírus entre a comunidade latina, segundo a “Reuters”.

A participação na inauguração será limitada, devido à pandemia e aos temores de violência continuada, após o ataque ao Capitólio na semana passada.

No mesmo dia, Tom Hanks apresentará um especial na televisão de 90 minutos, no horário nobre, a celebrar a recém chegada de Joe Biden à Casa Branca. Durante o programa, artistas como Justin Timberlake, Jon Bon Jovi, Demi Lovato e Ant Clemons vão cantar.

Ler mais
Relacionadas

Joe Biden: o 46º improvável presidente dos Estados Unidos

A primeira vez que imaginou ser presidente dos Estados Unidos foi em 1987. Não correu bem. À segunda tentativa, as coisas também começaram mal, mas o certo é que o senador de Delaware vai assumir a presidência dos Estados Unidos.

Pandemia e invasão do Capitólio levam a uma investidura invulgar

Contrastando com a habitual celebração que envolve a tomada de posse de um novo presidente nos EUA, a crise pandémica e a violência vista na capital há menos de duas semanas mudaram a tónica do evento deste ano. Ruas desertas, tropas armadas e vedações com arame farpado constituem o cenário da investidura do 46º presidente.

Wall Street abre em alta na véspera da tomada de posse de Biden

Plano de estímulos económicos de Joe Biden e discurso da futura secretária de Estado do Tesouro norte-americano animam a bolsa de Nova Iorque.
Recomendadas

Livro: “Um Adeus aos Deuses”

Urge recordar a obra de Ruben Alfredo Andresen Leitão, que ficou para a história da Literatura como Ruben A., agora que passaram 100 anos do seu nascimento. Ir com ele até à Grécia não é um convite, mas a promessa de um voo.

78.ª edição dos Globos de Ouro criticada pela falta de diversidade

“Todos sabemos que as cerimónias de prémios são estúpidas”, acrescentou Tina Fey. “A questão é que, mesmo com coisas estúpidas, a inclusão é importante e não há negros entre os membros da Associação da Crítica Estrangeira em Hollywood”, afirmou, instando a organização a fazer mudanças.

PRR deve incluir 280 milhões para indústrias culturais e criativas

A Plataforma Cívica Convergência pela Cultura propõe que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) consigne um montante de 280 milhões de euros para as indústrias culturais e criativas e que estas sejam incluídas como setor estratégico transversal.
Comentários